terça-feira, 10 de novembro de 2015

61ª Feira do Livro de Porto Alegre

61ª Feira do Livro de Porto Alegre vai até o próximo domingo. Ainda dá tempo de visitar. Passei por lá hoje de novo, depois de cortar o cabelo, no Salão Dia e Noite que frequento há 30 anos, na Andrade Neves.
E, fui lá porque sentado na cadeira do Gringo, meu jovem barbeiro de 80 anos de idade, olhei para o lado e vi que seu colega, o Pedro, lia um livro de quase mil páginas sobre a 2ª Guerra Mundial, de Martin Gilbert, editado pela Casa da Palavra. Admirado, comentei que precisava de fôlego para ler um livro tão grosso.
O barbeiro, mais jovem que o Gringo, disse que estava acostumado a ler livros de mil e tantas páginas e, comentou com tanto entusiasmo o valor histórico e jornalistico do livro que lia, destacando um elogio do The New York Times que não resisti. 
Ao sair da barbearia fui atrás da obra na feira. Encontrei-a numa Cooperativa Estudantil ligada a Universidade Federal de Santa Maria por R$ 72,00 (setenta e dois) reais. Animado, saquei o Banricompras e botei a Segunda Guerra Mundial na sacola, junto com Sapiens, Uma breve história da humanidade, de Yuval Noah Harari, da L&PM, elogiado pelo The Guardian, adquirido por R$ 38,00.
Como diz o lema da 61ª Feira do Livro de Porto Alegre: livros nos ajudam a pensar. E, estamos mesmo precisando pensar muito, principalmente, como nos livrar de tanta corrupção encrustada em governos brasileiros.
Infelizmente, se percebe que o volume de vendas pode ser afetado, por conta do cinto apertado que nos impõe economia de guerra.
Aroldo Medina



Nenhum comentário:

Postar um comentário