segunda-feira, 31 de março de 2014

Meio século de vida.

Que responsabilidade completar 50 anos de vida! Quero agradecer todas as manifestações recebidas hoje, desde as primeiras horas do dia. 

Deus e meu mestre Jesus reproduzam na vida de todos, os desejos que, generosamente, colhi da bondade e da gentileza dos corações humanos que me brindaram com tantos votos de felicidade, saúde, paz e prosperidade, nesta data querida.

Fazendo o balanço de cinco décadas de vida (Ufa!)... E, pensando como estabelecer um marco nesta data emblemática, uma imagem inundou meu coração de felicidade quando pensei nos meus pais: Ivo Medina (1928-1988) gabrielense de saudosa memória e, Nilva de Wallau Medina, prenda santo-cristense de 1935 que esta em casa e, continua melhorando, graças a Deus, aos cuidados domésticos e ótimo tratamento médico que tem recebido. 

A felicidade veio (cristalina) quando pensei (obviamente) que sou produto do amor deles e, creio que a foto que ilustra esta postagem, atesta o que sinto. Aos dois, dedico esta data cinquentenária.

Conversando hoje com minha querida mãe, testei sua memória, pedindo que falasse sobre as origens do seu primogênito. "- Aroldo, tu nasceu na Santa Casa de Santana de Santana do Livramento (RS). Passavam três minutos das 16 horas quando o doutor Adolfo Del Rio, um jovem alto e muito simpático, junto com uma parteira, te pegaram nos braços e, em seguida deixaram eu te segurar no colo... Quem me levou para o hospital foi a tua vó Natália, junto com um soldado da Brigada para quem ela pediu socorro na rua... Os vizinhos estavam trancados dentro de casa, com medo da Revolução. Teu pai não pode passar por uma barreira que o Exército montou na estrada (BR 290) antes de chegar em Livramento. Ele tinha um jipe. O carro não passou porque era área de fronteira e considerado "carro de combate". Teu pai voltou para São Gabriel e arrumou uma carona. Parece que foi num fusca. Conheci o teu pai, em 1962, no Grêmio Náutico União, em Porto Alegre. Teu avô (Carlos Augusto João de Wallau) era ecônomo da copa no clube. Quem me apresentou teu pai foi um tio dele, Plínio Moura, irmão da vó Hilda (Hilda de Moura Medina). O plínio gostava de uma irmã da vó Natália, a Nuqui (apelido). Teu pai havia recém chegado de São Gabriel e o tio, com pena de deixar ele sozinho em casa, convidou teu pai para ir no clube. No dia seguinte já fomos juntos a um baile, no próprio Grêmio Náutico. Teu pai me tirou para dançar. Era um ótimo dançarino e eu também (modesta). Fizemos sucesso dançando. Um ano depois pediu a minha mão em namoro para o teu avó. Ele gostava do teu pai. A mãe então, nem se fala. A vó Natália adorava ele. Não demorou muito para eu conhecer a vó Hilda e depois ir visitá-la em São Gabriel. Ela fez uma festança no dia que eu fui lá fora (Distrito do Batovi), na casa dela. Mandou "carnear" uma ovelha e convidou todos os parentes da redondeza. O namoro engrenou, noivamos e casamos dois anos depois que eu conheci o teu pai... " 

E, continuou falando minha mãe, bem faceira, com as reminiscências evocadas de um passado construído com amor.

Creio ter sempre amado e honrado meu pai e minha mãe, cumprindo, fielmente, este mandamento da Lei de Deus.

Aroldo Medina

quinta-feira, 20 de março de 2014

Separação do Corpo de Bombeiros da Brigada Militar.

Separação do Corpo de Bombeiros da Brigada Militar. O assunto requer uma postagem um pouco mais longa. Perdoem-me.

Fiz um exercício de redação, na disciplina de Correspondência Militar, com meus alunos-sargentos da turma do CTSP (Curso Técnico de Segurança Pública), em São Leopoldo, no 2º CRB, na tarde desta quinta-feira. O tema proposto: a separação do Corpo de Bombeiros da BM, quem era contra ou a favor e, por quê?

A turma é constituída por 27 alunos de várias regiões do RS. 23 foram a favor da separação, 3 contra e, um se absteve de tomar posição.

Pela separação predominou a opinião de que a desvinculação da BM irá possibilitar orçamento independente. Com recursos próprios creem os bombeiros que poderão ser melhor equipados, ter aumento de efetivo e quadro técnico, com perfil intelectual mais específico a sua missão. Quem se posicionou contra receia que poderão ter direitos adquiridos ameaçados no futuro e, até mesmo ter o poder de polícia, questionado.

O encaminhamento do PEC (Projeto de Emenda Constitucional) número 232  feito ontem pelo Governo do Estado à Assembléia Legislativa do RS, criando a separação do Corpo de Bombeiros da BM é, ao meu ver, incendiário e eleitoreiro.

O governo teve todo o tempo do mandato para tratar do assunto, com a responsabilidade que o seu tramite requer: sem atropelos. Resolveu apresentar o projeto agora, justo em ano eleitoral e, "ignorando" a existência do PEC 229 que trata do mesmo assunto e que foi bem estudado e amplamente debatido, na própria Assembléia Legislativa do RS e, entre entidades representativas da classe. Então me diz se não é para incendiar?

E, se não for para atear fogo no negócio, então deve ser para faturar politicamente, pois, se os deputados estaduais de duas grandes bancadas que tem condições de governar o Estado e que tem candidatos capazes de vencer Tarso Genro, PMDB (José Ivo Sartori) e PP (Ana Amélia Lemos), rejeitarem a separação, vão sofrer o ônus eleitoral por terem "empatado" a vida da ampla maioria dos membros do Corpo de Bombeiros da BM que quer a separação e que tem a simpatia e credibilidade da população como verdadeiros heróis. E, aprovando a separação, PMDB e PP, permitirão que Tarso diga, em sua campanha que ele separou o Corpo de Bombeiros da BM.

Se eu fosse deputado, votaria pela separação. Seja respeitada e feita a vontade da ampla maioria dos bombeiros militares do Estado do RS, sem transformar o assunto, em manobra eleitoreira barata.

Major Aroldo Medina

Referenciais teóricos:
Aniversário do Corpo de Bombeiros, autonomia administrativa.

Governador Tarso Genro fala sobre a separação dos bombeiros da BM.

Outono

Hoje começa o outono. " - O outono é a estação que as árvores trocam de roupa." A frase é de uma professora que tive no primário, 3ª série, no Colégio Maria Auxiliadora, em canoas, em 1974. A metáfora da professora ficou na minha cabeça porque, na época, eu nunca havia parado para pensar que as árvores poderiam "ter roupas" e que, pasmem, até trocavam de "vestuário".

As folhas caindo, normalmente, amareladas, chamaram minha atenção hoje, enquanto olhava pela janela do táxi lotação, em Porto Alegre, indo para o Departamento de Saúde da BM, no Cristal. Ao chegar no quartel, depois de ligar o computador e, indefectivelmente, em dado momento do trabalho recorrer ao oráculo do Google, na preparação de uma aula, lá estava o banner característico, lembrando os "google maníacos" que hoje iniciava o outono, a estação do amadurecimento e da renovação.

Atraído pelo portal do Google, viajei por imagens de outono que fizeram bem ao meu espírito e me levaram a visitar wikipedia e a ler Juliana Garcia falando sobre o outono. Bem legal o texto dela. Simples e fácil de entender os "segredos" do outono.

Aroldo Medina


segunda-feira, 17 de março de 2014

José Ivo Sartori.

O Gringo é gente boa. Vai crescer. Tem conteúdo.

O fato de não ser ainda tão bem conhecido e popular em todo o RS, como é na Serra Gaúcha, pode ser uma vantagem, pois, o eleitor gosta de novidade.

Sartori concorre a governador do RS pelo PMDB, na eleição deste ano.

Aroldo Medina.


sábado, 15 de março de 2014

José Ivo Sartori será candidato a governador do RS.

Participei da pré-convenção do PMDB-RS que definiu com 70% dos votos do público que compareceu hoje, na Assembléia Legislativa do RS, José Ivo Sartori como candidato a governador, nas eleições deste ano.

Longas filas se formaram diante da urna de votação, deste a abertura dos trabalhos. Houve um comparecimento em massa da militância habilitada para votar no processo. Era corrente a opinião de que o evento entra para a história do PMDB-RS, como a maior pré-convenção já realizada.

O clima foi de grande respeito entre os candidatos Sartori e Ziulkoski e seus cabos eleitorais, lideranças de peso no PMDB. Quem compareceu, testemunhou um grande ato de democracia e maturidade política. O PMDB entra para valer, a partir de agora, com reconhecida mobilização e unidade, no processo que irá escolher o próximo governador do Estado do RS.

Sartori vai crescer. Sem ser até hoje, o candidato oficial do partido, já arranca com aproximadamente, 7% da intenção de votos dos gaúchos. Sua simplicidade e carisma de gringo trabalhador, como de fato é, bem falante e honesto, vai conquistar a simpatia de muita gente que ainda não o conhece.


Aroldo Medina

PMDB do RS escolhe seu candidato a governador.

O PMDB-RS decide nas próximas horas, o seu candidato a governador. Os peemedebistas escolherão entre José Ivo Sartori e Paulo Roberto Ziulkoski. A pré-convenção esta marcada para ocorrer a partir das nove horas da manhã, no auditório Dante Barone da Assembléia Legislativa do Estado do RS.

Vou estar presente. Apoio José Ivo Sartori pelo mesmo motivo que apoiei Germano Rigotto, em 2002, a integridade do candidato.

Sartori começou sua trajetória política como vereador em Caxias do Sul. Tem currículo sólido, experiência legislativa e executiva. Exerceu cinco mandatos consecutivos como deputado estadual e um mandato como deputado federal. Foi eleito prefeito de Caxias do Sul, em 2004 e reeleito em 2010. É verdadeiramente, um homem de bem e bastante qualificado para a função que aspira. O principal desafio da sua campanha é torná-lo popular em todo o Estado, como é na Serra Gaúcha.


Aroldo Medina

sexta-feira, 14 de março de 2014

Curso Técnico de Segurança Pública da BM.

Começa na próxima 2ª feira, dia 17 de março, mais um novo CTSP. O curso é voltado para a habilitação de novos 2º sargentos na Brigada, com carga horária total de 1.600 horas. Nos bombeiros serão 207 alunos sargentos que receberão instrução, divididos em turmas que irão funcionar na ESBO, no 1º, 2º e 8º CRB. No policiamento ostensivo serão 347 alunos.

Participei hoje de reunião de instrutores selecionados para ministrar aulas no 2º CRB, em São Leopoldo. Fui convidado para lecionar Correspondência Militar. Aceitei com satisfação a missão. No Curso Básico de Formação Policial Militar 2012 do 2º CRB ministrei aulas de História da BM e Comunicação Oral e Escrita para três turmas, em São Leopoldo, Sapiranga e Taquara. Ótimos alunos e, excelente ambiente de trabalho.

O edital de convocação dos alunos sargentos que irão frequentar este curso foi atípico. Não abriu, infelizmente, a porta para o ingresso de qualificadíssimos soldados que já haviam pago o "pedágio" de sete anos de interstício na carreira e, poderiam ter prestado, merecidamente, concurso com o objetivo de frequentar este CTSP.

Major Aroldo Medina

quinta-feira, 13 de março de 2014

Tudo por dinheiro.

Embarquei num táxi, hoje à tarde, no centro de Porto Alegre. No meio da corrida puxei conversa com o motorista. "- Vamos votar em quem para governador?" Foi como puxar o gatilho de uma metralhadora. Botou os políticos abaixo do rabo do cachorro. Escutei tudo em silêncio.

O trânsito estava congestionado. Após uma longa pausa, talvez para recuperar o fôlego, o motorista retomou a palavra: "- E o senhor, vai votar em quem?" "- Estou pensando". Respondi. Sem cerimônia o motorista deu uma guinada... De direção, no pensamento dele que me desconsertou. "- Olha! Eu tenho muito voto ai nas vilas para buscar. Mas é claro que tem que ter dinheiro para eu trabalhar. Não vou trabalhar de graça para ninguém. Se o senhor tiver algum candidato e quiser o meu apoio é só me procurar. Não esquece do dinheiro!" Sentenciou.

Encontrei o André Machado no Shopping Tottal, hoje, no final da tarde, por acaso. Parei para conversar. Gosto dele. Além de ser uma pessoa muito simples e acessível, como jornalista do Grupo RBS, sempre me tratou com muito respeito e consideração, nas duas vezes em que concorri ao governo do RS.

Entre um assunto e outro, relatei para o André, a conversa com o taxista. Depois de refletir um instante ele falou: "- Major. Dia destes um líder comunitário me procurou e disse que poderia me ajudar com 3.000 votos, desde que eu pagasse a ele R$ 4.000,00 (quatro mil reais) por mês, durante a campanha. Eu agradeci sua oferta e disse que se ele tinha tantos votos cativos assim, ele mesmo deveria ser candidato. Depois saí ao passo". 


O André é pré-candidato a deputado federal pelo PC do B, na próxima eleição. Pelo seu caráter e qualificação profissional será um excelente candidato.

Aroldo Medina

sexta-feira, 7 de março de 2014

Patrulhas Táticas Especiais da BM: origem.

Em 1997 foi constituído um novo "pelotão embarcado", no Batalhão de Polícia de Choque da Brigada Militar, para atuar no policiamento ostensivo, com liberdade de manobra em toda cidade de Porto Alegre. O grupo foi denominado PATRES (Patrulhas Táticas Especiais). Contava com 30 homens experientes e seis viaturas Ford Versailles. Tive o privilégio de ser o seu primeiro comandante, como 1º tenente da BM.

Uma das principais ocorrências que fomos despachados para atender foi um assalto a banco, ocorrido na avenida Independência. Chegamos em três minutos. Os bandidos saiam da agência. 


Ao perceberem nossa presença, nos recepcionaram com uma "saraivada de balas". Respondemos ao fogo e, logo em seguida prendemos um. O outro se refugiou numa farmácia, fazendo a balconista de refém e, escudo humano. Também foi preso, depois de desarmarmos o criminoso, libertarmos a vítima e recuperarmos o dinheiro.

Aroldo Medina
Major da ativa da BM