quinta-feira, 31 de março de 2016

Aniversário

52 anos. O tempo passa depressa, mesmo. Já perdi a conta de quantas árvores plantei. Gosto de plantar. Há poucos dias eu e a minha mãe plantamos uma caneleira, no pátio de casa. Como diretor cultural do Grêmio Estudantil Maria Auxiliadora, em Canoas, em 1981, produzi um jornalzinho, minha primeira publicação, impressa no mimeógrafo da escola. Depois seguiram-se outras obras, jornais, revistas e livros, produzidos no meio militar. E, fui abençoado com minha filha Natália Medina, de quem me orgulho muito. Acadêmica, será uma grande médica veterinária. Rogo a Deus saúde que desejo a todos e, força para continuar plantando e, colaborando com a construção de um mundo melhor.
Aroldo Medina



O sargento Juarez Pereira brindou-me ontem, com uma foto que expressa bem o que sinto nesse cinquentenário: responsabilidade.


quarta-feira, 30 de março de 2016

Frente Parlamentar da Segurança Publica RS.

Convidado, compareci na cerimônia de instalação da Frente Parlamentar da Segurança Pública da Assembléia Legislativa do Estado do RS, hoje no início da tarde.
Os 55 deputados que compõe o Parlamento Gaúcho assinaram o protocolo de constituição da nova FPSP presidida pelo deputado Jorge Pozzobom (PSDB). Aliás, uma excelente escolha dos deputados, colocar na liderança dos trabalhos, um parlamentar do gabarito moral e intelectual de Jorge Pozzobom.
Em 90 dias os deputados devem apresentar um estudo preliminar contendo um "Raio X" de como esta o corpo da segurança pública gaúcha, dissecada a partir de dados coletados pela Frente e fornecidos pela Secretaria de Segurança Pública do RS que se prontificou em colaborar com o trabalho da Assembléia Legislativa.
Proponho que este quadro da segurança pública riograndense, além de ser disponibilizado através dos meios eletrônicos usuais, também seja transformado num livro.
Fotos que ilustram esta postagem de Juarez Pereira e Guerreiro.
Leia mais na Agência de Notícias da ALE-RS:
Aroldo Medina

Medina, Freitas e Pozzobom


terça-feira, 29 de março de 2016

Instituições Brasileiras

Apoio, incondicionalmente, o trabalho das instituições brasileiras, entre as quais destaco o Poder Judiciário, o Ministério Público Federal e a Polícia Federal que devem ter autonomia plena, com orçamento próprio e independente.
A imprensa do Brasil, igualmente, merece total apoio para que continue 100% livre e sem nenhuma espécie de censura.
O juiz Sérgio Moro tem meu reconhecimento e incentivo para que continue seu profícuo trabalho pelo bem de nossa pátria.

Aroldo Medina


quinta-feira, 17 de março de 2016

Lula mina Lava Jato e PT apoia.

Missões do novo ministro Lula: barrar o impeachment de Dilma e melar a Lava Jato... Se vingar sua nomeação.
Sérgio Moro agiu corretamente em quebrar o sigilo de áudios na Operação Lava Jato. O Brasil tem o direito de saber.
Dilma, Lula & Cia acirram os ânimos entre os brasileiros. A nomeação do novo ministro acendeu o estopim. Explosão social parece interessar ao PT que se imaginando apeado do Poder, prosperando o impeachment, age como Nero ateando fogo em Roma.
Polícias Militares serão "para-choque" ou a "estopa" entre: os a favor e os contra o Governo Federal? Brigada Militar agiu como "estopa" no manifesto de 13 de março. A PM trabalhou para manter os favoráveis ao Governo bem separados dos contra. Acertou e foi elogiada.

quarta-feira, 16 de março de 2016

O novo ministro Luiz Inácio Lula Jararaca da Silva.

Dilma, Lula & Cia acirram os ânimos entre os brasileiros. A nomeação da "Jararaca" acendeu o estopim. Explosão social parece interessar ao PT.

Governo Dilma Rousseff joga moral da nação brasileira na lama, perante a comunidade internacional, com a nomeação de Lula.

Risco Brasil deve aumentar, dólar subir, bolsa cair, acompanhando a biruta da política brasileira.




Em tempo: o juiz Sérgio Moro agiu corretamente em quebrar o sigilo de áudios na Operação Lava Jato. O Brasil tem o direito de saber.

Os áudios revelados pela Lava Jato.


E por falar em Jararaca:

Lesão causada por picada de Jararaca.



terça-feira, 1 de março de 2016

Os 100 anos da Academia de Polícia Militar do RS.

Na ordem do dia 1º de março de 1916, o coronel Afonso Emílio Massot, então no Comando Geral da Brigada Militar, tomava uma das muitas decisões que lhe assegurariam um lugar proeminente na história da corporação: estabeleceu a criação de um curso de ensino de dois anos “desejando proporcionar aos oficiais e subalternos da Brigada Militar os meios de se aperfeiçoarem no conhecimento de várias matérias de instrução intelectual, sem sacrifícios pecuniários”. Estava nascendo a Academia de Polícia Militar do Estado do Rio Grande do Sul que desde então tem sido o centro não apenas de formação, mas também de aperfeiçoamento e especialização dos oficiais da Corporação.

Passo importante para a caracterização da APM tal como a temos hoje foi dado em 1934, com a criação da unidade de ensino da BM, com a denominação de Centro de Instrução Militar onde era realizado o Curso de Preparação Militar, embrião do Curso de Formação de Oficiais que formou várias gerações de gestores de Polícia Militar, nas décadas de 70, 80 e 90 quando a Brigada formava quase todos os anos, uma nova turma de aspirantes a oficial. As fotografias empoeiradas que ainda são encontradas nas paredes de alguns quartéis mostravam a força do Estado formando, regularmente, dezenas de jovens idealistas que ganhavam o Rio Grande do Sul para combater o crime, aonde ele surgisse.

As turmas de oficiais, junto com turmas de praças combatentes do crime que povoavam o pátio dos quartéis, nas décadas mencionadas, onde se podia contar, com facilidade, mais de trezentos homens em forma, por turno de serviço, comandados por um tenente formado pela APM, foram minguando, minguando até as salas de aula da Academia de Polícia Militar ficar vazias no seu centenário. Não é a toa que milhares de pessoas protestam todos os dias por mais segurança pública e o medo se manifesta em todo lugar.

O sistema de defesa pública da população esta falindo porque não há milagre se o Governo do Estado não rever sua posição, dando sentido às escolas de formação da Brigada, povoando-as de alunos, ainda que minimamente. Uma releitura da Teoria Geral do Estado, por parte dos governos, seja ele federal ou mesmo estadual, há de relembrar os eleitos, sobre conceitos básicos, como o de soberania interna que só existe com instituições policiais bem estruturadas para garantir a segurança pública da população.


Aroldo Medina - Tenente-Coronel RR da Brigada Militar.

No centro, o Comando da Brigada Militar: coronel Alfeu Freitas Moreira.


Turma de Aspirantes 1988 da BM,
no centenário da APM-RS.
Gabriel José Caldeira dos Santos,
9 anos, vestindo réplica do uniforme de
Afonso Emílio Massot, patrono da BM.