sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Orlandi Martins de Souza

Memórias. Orlandi Martins de Souza foi sargento da BM. Um dia me abordou na Academia de Polícia Militar e perguntou se eu poderia editar um livro que ele havia escrito. Depois de ler sua produção literária, entrei em campo para editá-lo, em 1989.

Um trágico acidente de trânsito, nos anos 90, lhe ceifou a vida, junto com sua família, esposa e filha pequena. Manuseando meus livros em casa, reencontrei a obra do nobre sargento Orlandi, nosso estimado irmão que nos deixou um legado de boas obras.

Deus esta entre nós. Aroldo Medina




segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Paz Novo Hamburgo... Paz Porto Alegre... Paz RS... Paz Brasil.

#PAZNovoHamburgo #PAZ CAMPO BOM ... #PAZ PORTO ALEGRE # PAZ RS

Sim! Todos nós queremos PAZ. Perdoem-me o texto de 5 minutos de leitura. É por uma boa causa.

Participei nesta segunda-feira, dia 25 de agosto, 18 horas, na Sociedade Ginástica Novo Hamburgo, de uma reunião convocada pelos organizadores do movimento # Paz Novo Hamburgo, com candidatos a deputado federal de vários partidos.

A comunidade de NH vive aterrorizada com a onda de violência desmedida que assola a cidade. Os índices de criminalidade lá, estão em alta. O cidadão de bem se prende em sua casa, enquanto os bandidos tomam conta das ruas. O cenário não é diferente em várias cidades brasileiras.

Cansados de verem os criminosos andando soltos pelas ruas, o Paz Novo Hamburgo lidera um movimento que propõe a extinção do regime aberto e semiaberto no cumprimento das penas de condenados pela Justiça, entre outras propostas.

Depois de apresentadas as razões do movimento, com eloquência e coragem, os candidatos presentes foram convidados a assinar um contrato de apoio a causa. Os candidatos debutantes, logo formaram uma fila para assinar o pacto proposto. Os deputados com mandato, presentes, cautelosos, permaneceram sentados. Assim que a fila se dissipou, dois deputados com mandato e um ex-prefeito da região subiram ao palco e usaram da palavra, com prudência, esclarecendo que o processo de mudança na lei, implicava um longo ritual de discussão no Congresso. Suas ponderações, de quem conhece a "via sacra" de Brasília, não foram bem aceitas pela platéia.

A pauta em discussão levou-me a travar uma luta comigo mesmo. Em minha mente Sancho Pança e Dom Quixote começaram a brigar. Um mandava eu ficar quieto em minha cadeira, até porque, eu nem fora convidado para aquela reunião. Fiquei sabendo dela, através do professor Wambert Gomes Di Lorenzo I. Já Dom Quixote chutava minha bunda, mandando eu me levantar e gritar, fazendo coro ao lado da sociedade indignada. Dom Quixote venceu.

"Por que será que nos chocamos ainda ao ouvir um deputado falar que o Estado esta falido. Se não estivesse, os bandidos não pulariam o muro, para fora do presídio, na frente de um quartel da BM. Ouvimos aqui o próprio diretor em exercício do presídio de NH, dizer que tinha 14 agentes para cuidar de 230 apenados. Divididos em turnos, os agentes da SUSEPE formam equipes de três homens. Assim, cada agente cuida de 70 presos, em média. Neste ponto, lembrei que a BM para fazer uma simples escolta, trabalha com a tese de que cada preso deve ser escoltado por dois PMs. Vejam ai que discrepância: um agente para cuidar de 70 presos. E, o Estado não esta falido mesmo?"

Encerrei minha fala lembrando que havia concorrido ao governo do Estado na eleição passada, como um protesto para pautar justamente nos debates de TV, a questão da segurança pública. E, terminada a eleição de 2010, logo depois de me apresentar na BM, fui transferido de Porto Alegre para Novo Hamburgo, como uma espécie de vingança/punição do governo estadual, pela minha postura irreverente nos debates, peitando a governadora sobre questões ligadas a probidade administrativa.

Por que a cidade de Novo Hamburgo foi considerada já em 2010, um castigo para um oficial da ativa da BM? Descobri a resposta desta pergunta, na prática. E, só posso discorrer sobre ela, se for eleito deputado estadual.

Se falasse hoje, sobre o que vivi em NH, onde exerci em 2010/2011 a função de Chefe da Seção de Justiça do CRPO-VRS e, depois como comandante em exercício do 3º BPM, no Foro #Paz Novo Hamburgo, seria, arbitrariamente preso ou iria contar minhas histórias para São Pedro.

Cumprimentos aos organizadores do #Paz Novo Hamburgo e de outras cidades que tem a coragem de reagir contra os bandidos, os tradicionais e os ocultos.

Aroldo Medina - Oficial da ativa da BM.

Dia do soldado brasileiro.

"Você sabe de onde eu venho?

Venho do morro, do Engenho,
Das selvas, dos cafezais,
Da boa terra do coco,
Da choupana onde um é pouco,
Dois é bom, três é demais,
Venho das praias sedosas,
Das montanhas alterosas,
Dos pampas, do seringal,
Das margens crespas dos rios,
Dos verdes mares bravios
Da minha terra natal. 
Por mais terras que eu percorra,
Não permita Deus que eu morra
Sem que volte para lá;
Sem que leve por divisa
Esse "V" que simboliza
A vitória que virá..."

Na canção do Expedicionário, neste Dia do Soldado, presto minha homenagem a todos os que honram a farda que usam, com valores éticos e morais, na defesa da vida e do patrimônio do digno povo brasileiro e de nossa democracia.

Avante! Meus nobres irmãos e irmãs de caserna, de todas as Forças: Exército, Marinha, Aeronáutica, Policias Militares e Corpos de Bombeiros. Estejamos unidos. Deus e o mestre Jesus estejam sempre entre nós, iluminando nossas mentes com sabedoria, concedendo a todos, vida longa, com muita saúde e paz.

Comecei minha carreira militar na Força Aérea Brasileira, no QG do V Comar, em Canoas, no ano de 1984, de onde saí para ingressar na Brigada Militar, em 1986.

Aroldo Medina - Oficial na ativa da BM.

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

"Não vamos desistir do Brasil".

"Não vamos desistir do Brasil". Eduardo Campos, in memorian. Por que somente depois da morte percebemos a grandeza da sua vida e da sua obra?

Todas as revistas e jornais do país focam Eduardo. Quem tiver a disciplina de ler as reportagens na integra, terá uma aula inesquecível de história, democracia, patriotismo e cidadania. E, talvez até prestemos mais atenção nas eleições. No seu significado fundamental na vida de cada um de nós e, da nação brasileira.

Creio na vontade de Deus Pai e, em Seu Filho, nosso Senhor Jesus. Ele tem Eduardo, hoje, em sua Corte Celestial, envolto de luz. A fatalidade da sua morte precoce escalou Marina Silva, predestinada, para ser presidente da República do Brasil.


Aroldo Medina





quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Eduardo Campos.

Eduardo Campos era meu candidato a presidente da república. Também era o candidato de nossa coligação para o governo do RS (PMDB - PSB - PSD - PPS). Parte precocemente, deixando um legado de esperança.

Minha solidariedade a toda sua família, parentes, amigos e simpatizantes. Deus esteja com todos e, o mestre Jesus receba Eduardo, em sua nova morada de paz.

Aroldo Medina

terça-feira, 12 de agosto de 2014

O professor Wambert Di Lorenzo.

Tenho caminhado ao lado do professor Wambert, em campanha, em Porto Alegre e outras cidades de nosso Rio Grande. A receptividade das pessoas tem sido muito boa. Entre uma visita e outra, aumento minha cultura geral. Cada conversa com o professor é um aprendizado.

Ouvindo ele falar aos juízes do Tribunal Militar gaúcho, circunstanciando seu pensamento sobre a política e sua motivação em concorrer foi inevitável pensar que sendo eleito, será um deputado federal bem produtivo, além de se credenciar com sua profícua capacidade e honradez, ser lembrado para governar o RS, num futuro não muito distante.

Aroldo Medina

Algumas de nossas propostas temáticas, em parceria:


Visite também:

www.wambert5556.com.br  e  www.aroldomedina.com.br


segunda-feira, 11 de agosto de 2014

O GRENAL

Liguei para o professor Wambert Di Lorenzo e o meu amigo Alfonso Abraham para sugerir uma foto durante o GRENAL. Eu vestindo a camiseta do Grêmio e o professor a camiseta do Inter. Ambos, prontamente, concordaram. Ao desligar o telefone, meus botões começaram a conversar comigo.

Os botões levaram-me a ligar para dois irmãos da Brigada, o major Magno e o major Botelho este, meu colega de turma. Ambos trabalharam no BOE, em GRENAL. Expus a eles, a ideia das fotos com o professor Wambert Gomes Di Lorenzo I, hoje, no estádio Beira Rio. Os dois comandantes demoveram-me da intenção, fundamentando sua opinião na agressividade existente entre as torcidas, principalmente entre as organizadas.

Zero Hora dominical traz na sua capa hoje, uma chamada: "Como melhorar a convivência entre as torcidas" e escreve sobre o tema, nas páginas 38 e 39 do seu Caderno de Esportes. Os dirigentes de ambos os clubes, mais a BM veem com cautela a proposta de integração das torcidas, dentro do Beira Rio e da Arena, em dia de GRENAL.

A civilidade buscada existe. Eu já testemunhei o que se pretende (integração entre as torcidas do Inter e do Grêmio FBPA), em Erechim. Depois de assistir um GRENAL na cidade fiquei impressionado com a educação dos torcedores saindo do estádio, lado a lado, sem cordão da Brigada, caminhando como uma nação civilizada. 10 para estes torcedores colorados e gremistas.

Assim como a torcida do Grêmio FBPA tem o Danrlei, deputado federal, os colorados podem ter o professor Wambert Gomes Di Lorenzo, como seu centroavante, no Congresso Nacional. Tenho certeza de que o professor orgulharia muito a torcida do Internacional, além de fazer muitos gols para todo o RS.


Restou tirar uma foto com meu cunhado, durante o churrasco de comemoração do Dia dos Pais, domingo, em casa.  

Aroldo Medina

domingo, 10 de agosto de 2014

Feliz Dia dos Pais.

Compartilho meu maior presente no dia de hoje, ser pai e, divido a felicidade com todos os pais do mundo que amam seus filhos com responsabilidade, não medindo esforços para educá-los com o próprio exemplo. Tive a benção de ter um pai presente e amado até meus 24 anos quando Deus o convocou, para sua próxima dimensão de vida.

Feliz Dia dos Pais, a todos os pais e as mães que acumulam a função. Deus nos una no amor de nosso irmão Jesus, concedendo a todos nós, vida longa, com muita saúde, paz e prosperidade ao lado de nossas famílias.


Aroldo

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Estelionato com cartão de crédito.

Recebi ligação telefônica da Central que administra os cartões da Caixa Econômica Federal há uma hora. Perguntaram se havia feito compras pela Internet hoje e, a atendente passou a discriminar as transações que foram feitas. Uma a uma fui negando todas elas.

Mais uma vez fui premiado com a atenção de estelionatários. Porém creio que desta vez não "roubaram meus dados pessoais da Internet" (ônus de quem tem todos os dados divulgados, em função da vida pública), como aconteceu final do ano passado quando fui atrás dos bandidos e, depois de pedir ajuda da Polícia Civil de SC, os criminosos foram identificados e presos.

Desta vez creio que os dados do meu cartão da Caixa, bandeira Mastercard, foram possivelmente clonados a partir da sua utilização em uma dessas maquininhas onde passamos o cartão. Alguns destes equipamentos são desviados de suas operadoras e são instalados neles, um dispositivo que armazena os dados do cliente e sua senha. O golpe é frequente em estabelecimentos de alimentação, onde suspeito que meu cartão foi clonado.

Felizmente o sistema de segurança da Caixa identificou o golpe, bloqueou a grande maioria das compras e fez contato comigo e, ainda fui informado que a CEF tem um protocolo de cooperação com a Polícia Federal para responder a esse tipo de crime que cresce assustadoramente no Brasil.

Inevitável nestas circunstâncias fazer o registro de que, se vier a ocupar uma das vagas em nossa Assembléia Legislativa, farei de nosso gabinete, um centro de pesquisa e combate ao estelionato no Brasil.


Aroldo Medina
Major da ativa da Brigada Militar