quinta-feira, 30 de maio de 2013

Centro Espírita Lar dos Necessitados.

Participei hoje de uma sessão mediúnica no Centro Espírita Lar dos Necessitados, em Novo Hamburgo (RS). Marquei a consulta com os médiuns, com o objetivo de ver se poderia auxiliar de alguma maneira minha mãe, baixada na UTI do Hospital Independência de Porto Alegre, há quase dois meses.

Depois de assistir palestras no Centro e receber passes magnéticos, preenchi os requisitos solicitados pela organização para ter acesso a sessão onde fui atendido, após ser entrevistado por uma obreira da casa, sobre os motivos que me levaram a requerer a consulta.

Saí satisfeito com os trabalhos realizados, onde percebe-se seriedade, conhecimento e caridade. O Lar dos Necessitados é bem organizado, limpo e iluminado. A hospitalidade é uma marca da casa onde os obreiros são muito acolhedores.

Prestando atenção na conversa dos médiuns entendi que na encarnação passada fui um juiz, justo. Minha responsabilidade espiritual aumentou quando ouvi um dos médiuns dizer que eu continuava sendo um homem justo, nesta encarnação. Seguiram-se outros comentários de grande responsabilidade, com a obra de Jesus.

Aroldo Medina

sábado, 25 de maio de 2013

Segurança



O episódio da visita indesejada de hoje a tarde, em casa, quando possíveis bandidos pensaram em invadir o território onde mora minha família, levou-me a escrutinar a memória, em busca de "pistas".

Lembrei que esta semana contratei um empreiteiro para fazer micro estacas aqui em casa. Foi na quarta-feira, dia 22/05. Como de praxe, embora fosse indicado, identifiquei todos que ingressaram em minha casa. Peguei a agenda, conferi os nomes e resolvi consultar um dos serventes da obra, cuja conduta em meu pátio (prestava tanto atenção na residência e seu movimento quanto na obra que fazia), chamou minha atenção.

Acessei o Consultas Integradas e, bingo. O sujeito tinha antecedentes criminais por porte ilegal de arma e furto qualificado. Diante da "descoberta" não hesitei em registrar a ocorrência (12940/2013). Fui direto, na nova e bem estruturada Central da Polícia Civil de Canoas, onde fui super bem atendido por uma jovem policial, recentemente formada.

Retornando para casa, já noite, me deparo com dois suspeitos, encapuzados, nas proximidades da minha residência. Estacionei a camioneta e liguei para o 190 da Brigada. Identifiquei-me e informei que abordaria dois indivíduos, fornecendo o endereço da abordagem (rua Ceará, 539), pedindo apoio. A BM chegou rápido, encontrando-me com os dois suspeitos rendidos. Ambos sem documentos. Um deles, interrogado, admitiu ser ex-traficante, "exportado" do Paraná.

Consigno meu reconhecimento sincero ao trabalho abnegado dos meus colegas brigadianos que, prontamente, responderam ao meu chamado: o sargento Smolinski e o soldado Moraes (viatura 6914) e os soldados Jonatas e Lorenzato (viatura 6289). Perfilo-me e lhes presto honrada continência militar. Deus esteja sempre com eles e com todos nós, nos ungindo com proteção, saúde e paz. 

Major Aroldo Medina

Nota: pretendo chamar o empreiteiro e a pessoa que me indicou seus serviços, para uma conversa sobre este episódio.



Insegurança

Hoje à tarde, saí de casa para uma volta rápida. Quando retornei, minha filha Natália contou que logo depois que eu saí apareceu um sujeito no portão e ela foi atendê-lo. 

O homem aparentando 30 anos, estatura média, magro, cor parda, perguntou: "- Teu pai tá em casa"? A Natália, inocentemente, respondeu que não. O sujeito fez um sinal com a cabeça e, apareceram mais dois sujeitos que desceram de um carro escuro estacionado e, ficaram atrás do homem que conversava com a Natália.

"- Teu pai não tá em casa? Né"? Disse o sujeito. Ai "caiu a ficha" da Natália e ela entrou rápido para dentro de casa, chamando minha irmã.

Ciente do ocorrido, ela me perguntou o que deveria fazer se isso ocorresse de novo. Formulei duas hipóteses de reação. Uma com o sujeito fora do pátio de casa: acionar a Brigada e me ligar em seguida. A segunda hipótese: com o bandido entrando dentro do terreno da minha casa: bala nele.


Major Aroldo Medina

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Minha Casa fica na rua

Avenida Borges de Medeiros, nº 283, Centro de Porto Alegre, hoje, meio dia. Eu descia a rua quando vi o guaipeca da foto, dormindo no carrinho do seu dono.

Voltei e perguntei aos moços que estavam sentados ao lado do cusco se eu podia tirar uma foto deles. Rapidamente se levantaram, acordaram o Tayson e se ajeitaram para o clic.

Assim conheci o Douglas Rafael Silva da Costa, 23 anos, o Elton da Silva Pires, 21 anos e o Renato Groiss da Costa, 40 anos. Todos moradores de rua. Moradores das ruas do centro de nossa capital.

Não me pediram dinheiro. Disseram que gostariam de ter um emprego e um lugar melhor para morar.

O Douglas, dono do cachorrinho, ainda me garantiu que o Tayson já estava no facebook, havia sido vacinado e, desverminado, recentemente.

Moradores de rua, com coração de Francisco.

Aroldo Medina

PMDB Gaúcho

Encontrei hoje pela manhã, o deputado Edson Brum, presidente estadual do PMDB no RS. Conversamos no diretório estadual da Andradas, 1234, no Centro de Porto Alegre, sobre as eleições de 2014.

O PMDB esta mobilizado. Prepara-se com método e inteligência. Esta bem focado. Quer chamar a atenção dos gaúchos e mostrar que em 47 anos de existência tem uma base sólida para fazer um novo governo que abrace todas as classes, com respeito e honestidade.

Na saída encontrei Rospide Neto, grande liderança do PMDB, ao lado do Renato, prócer secretário do estimado amigo Senador Pedro Simon.

Aroldo Medina