terça-feira, 31 de março de 2015

Legado de pai para filho.

Creio que sou legado importante do meu pai Ivo Medina (1928-1988) e de minha mãe Nilva de Wallau Medina (1935) que cultivaram-me sempre com amor, em seu coração. Neste dia de aniversário, minha maior homenagem é destinada a eles, de gratidão por tudo de bom que plantaram dentro de mim, começando pela educação moral e espiritual. E, creio que, a despeito dos defeitos inerentes a natureza humana, faço sempre o melhor possível para transmitir a herança dos valores recebidos, para minha filha Natália Medina, meu maior legado quando faço o balanço de minha vida, aos 51 anos de idade.

Divido a felicidade de hoje, com todos que generosamente, presentearam-me com muitos votos de saúde e paz. Deus esteja sempre entre nós.

Aroldo

Eu e meu pai, em 1964, em algum lugar do Rio Grande do Sul.


Minha mãe, faceira comigo, na Academia de Polícia Militar, em Porto Alegre, na entrega do Espadim Tiradentes, em 21 de abril de 1986.


Big festa de aniversário. 2 anos de idade, bem comemorados em Pelotas (RS).

Minha filhinha querida. Orgulho do papai.

Aniversário ao lado de grandes amigos.

Fui chamado, há poucos instantes, no gabinete do Comandante Geral da BM, coronel Alfeu Freitas Moreira. O prócer líder cumprimentou-me, com o cavalheirismo que lhe é peculiar, pela passagem do meu aniversário. Naturalmente, um grande presente no dia de hoje, ao lado dos cumprimentos recebidos de inúmeros colegas aqui no QG da Brigada, em Porto Alegre, junto com a lembrança de familiares, amigos e amigas, muito generosos nas manifestações de apreço recíproco. Deus esteja sempre entre nós.

Ten Cel Aroldo Medina

sexta-feira, 27 de março de 2015

Faixa de "In segurança" para pedestres.

Hoje, 15:35 horas, eu atravessava a rua Gurupi, esquina com a avenida Boqueirão (271), bairro Igara, em Canoas. Estava à pé e na faixa de segurança. Antes de atravessar, parei na esquina, a paisana e observei o trânsito de veículos. Acreditando estar seguro iniciei a travessia quando o condutor de um automóvel Fiat Fiorino, em deslocamento pela avenida Boqueirão (sentido centro - bairro) dobrou, repentinamente, na rua Gurupi, obrigando-me a parar e, recuar para evitar um possível atropelamento. Anotei a placa, o horário, o local da infração e, continuei caminhando.

Ao avistar uma patrulha da BM, fiz sinal para pararem. Após identificar-me, solicitei que a guarnição da PATAMO desembarcasse da viatura para conversarmos, após a apresentação regulamentar. Relatei o ocorrido e pedi ao soldado mais antigo presente (15 anos de BM) que expedisse o Auto de Infração de Trânsito (AIT) correspondente a infração que presenciei (Deixar de dar preferência a pedestre, código 613-0, artigo 214 do CTB).

Como não entramos num entendimento sobre a expedição do auto de infração em questão, naquele momento, embarquei na viatura e pedi que fossemos até o quartel.

No quartel, recepcionado pelo Comandante do batalhão, voltamos a tratar do assunto. Minha tese: tendo presenciado a infração, sendo policial militar, na ativa, tendo a presunção da verdade, em função da natureza do ato administrativo pleiteado, acionei a guarnição de serviço, para, através dela, expedir o AIT, com o intuito de punir o infrator, orientando o soldado a incluir no histórico da ocorrência que ela estava sendo produzida com base no meu testemunho e por minha solicitação. Tese do soldado mais antigo, portador do talonário de AIT: como não havia presenciado a infração, não poderia expedir o documento solicitado. Esta segunda tese foi admitida pelo comandante que ofereceu-me um AIT para que eu o preenchesse de próprio punho.

Em casa, revisando os procedimentos adotados, li o artigo 280 do Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/97), onde se lê no item VI, parágrafo 2º A infração deverá ser comprovada por declaração da autoridade ou do agente da autoridade de trânsito, por aparelho eletrônico ou por equipamento audiovisual, reações químicas ou qualquer outro meio tecnologicamente disponível, previamente regulamentado pelo CONTRAN. (O grifo é meu).

Continuo crendo que minha declaração, associada ao princípio da presunção de legitimidade e veracidade do ato administrativo que é presumido verdadeiro e legal até que se prove o contrário, ampara a tese de que o AIT poderia ter sido lavrado pelo soldado da BM.

Aroldo Medina - Tenente-coronel da BM
(30 anos de serviço público)

Nota: Presunção de legitimidade e veracidade dos atos administrativos: Conceito: os atos administrativos são presumidos verdadeiros e legais até que se prove o contrário. Assim, a Administração não tem o ônus de provar que seus atos são legais e a situação que gerou a necessidade de sua prática realmente existiu, cabendo ao destinatário do ato o encargo de provar que o agente administrativo agiu de forma ilegítima. Este atributo está presente em todos os atos administrativos. Principais informações sobre o atributo: Fundamento  Rapidez e agilidade na execução dos atos administrativos. Fonte.


Em Uberaba (MG) e em tantas outras cidades do Brasil.

terça-feira, 17 de março de 2015

domingo, 15 de março de 2015

Democracia contra corrupção no Brasil.

Movimento 15 de março. Povo brasileiro vai as ruas em todo Brasil, de forma pacífica e ordeira. Protestos são CONTRA CORRUPÇÃO, contra aumento de impostos, a favor de uma reforma política, mais rigor nas investigações na Petrobrás, do impeachment de Dima Rousseff, entre outras pautas, focadas em serviços públicos a serem prestados com mais qualidade e honestidade.
São Paulo deu uma demonstração GIGANTE de cidadania e de força contra os males que assolam o Brasil, mobilizando mais de um milhão de pessoas na avenida paulista.
Imprensa brasileira, com destaque para cobertura ao vivo da TV Record, desde o início dos protestos, por mais de três horas consecutivas, merece todo nosso reconhecimento pela importância do seu trabalho jornalístico livre que levou mais pessoas a saírem de casa e ocuparem avenidas, em todo Brasil.
O mesmo reconhecimento deve ser creditado para a Polícia Militar de São Paulo que agiu com grande profissionalismo, capacidade de organização e inteligência, na interação com o povo nas ruas.

Aroldo Medina

sexta-feira, 13 de março de 2015

Golpe Militar dia 15 de março é trote.

Haverá um GOLPE MILITAR no Brasil, dentro de algumas horas? O Exército Brasileiro vai colocar seus tanques nas ruas, como fez em 1964? Estas e outras perguntas foram feitas hoje, por minha filha Natália Medina.
Antes de perguntar para a Natália onde ela havia ouvido isso, lembrei que vários amigos me questionaram sobre o mesmo tema, nos últimos dias. A fonte dos boatos foram áudios no whatsapp, facebook e, vídeos no youtube, ouvidos e assistidos, recentemente, por milhares de pessoas.
Garanto: NÃO VAI HAVER NENHUM GOLPE MILITAR, dia 15 de março, próximo. É TROTE!
E, quem devem estar bem alertas são todos os oficiais e praças da Polícia Militar, em Comando de tropa, no país, para não cair em provocações de grupos radicais (reais golpistas manipulados e bem pagos) que buscam uma reação de violência da PM, visando mudar a pauta da notícia e correr com o povo das ruas.
Aroldo Medina

ALERTA DE GOLPE MILITAR NO BRASIL.

Sexta-feira, 13 de março de 2015. 36 horas antes de 15 de março. Haverá um GOLPE MILITAR no Brasil, dentro de algumas poucas horas? O Exército Brasileiro vai colocar seus tanques nas ruas, como fez em 1964? Estas e outras perguntas foram feitas hoje de manhã, por minha filha Natália Medina.
Antes de perguntar para a Natália onde ela havia ouvido isso, lembrei que vários amigos me questionaram sobre o mesmo tema, nos últimos dias. A fonte da Natália foram áudios no whatsapp, ouvidos, recentemente.
Garanto: NÃO VAI HAVER NENHUM GOLPE MILITAR, no Brasil, dia 15 de março, próximo.
É boato. Essa boataria já se ouviu antes (2013 e 2014). E, diferente de alguns que especulam se tratar apenas de uma brincadeira (inocente), democraticamente, discordo de que se trata se uma simples brincadeira. Creio tratar-se de um ato deliberado por estrategistas de esquerda que querem "esvaziar" o movimento popular do próximo dia 15 de março, incutindo medo na Sociedade Brasileira que não aguenta mais tanta corrupção na política nacional.
E como disse, inteligentemente, uma ativista da Internet: "Quando e se formos sofrer um Golpe Militar, podem ter certeza de que nós (a população) seremos os últimos a ficarmos sabendo disso", conforme podemos ler em: alerta de golpe militar no whatzapp.
NOTA: a PM (em todo Brasil) deve ter todo cuidado para não cair em arapucas, no próximo dia 15 de março. Tem que saber separar o joio do trigo. Explico: é bem provável que a esquerda fomente a participação de grupos radicais interessados em ESPANTAR a POPULAÇÃO protestante, católica, evangélica, espírita, muçulmana, afro-descendente, ordeira e pacífica DAS RUAS.

Tenente-coronel Aroldo Medina

Anúncio de golpe militar no Brasil é TROTE!


quarta-feira, 11 de março de 2015

Eduardo Loureiro e Sérgio Peres: pró BM.

Convidado, na condição de chefe da Assessoria Parlamentar do Gabinete do Comandante Geral da BM, visitei hoje pela manhã, o deputado estadual Eduardo Loureiro II (PDT), em seu gabinete na ALE-RS, onde tive a grata oportunidade de responder questionamentos do deputado, sobre demandas ligadas a área de segurança pública de nosso Estado. Eduardo Loureiro, ao lado de sua equipe de gabinete, acompanhou com muita atenção e cordialidade, o relato sobre os desafios do Comando da BM.


Após a visita ao deputado Eduardo Loureiro que almoçara com o Comando da corporação, no próximo dia 18 de março, no QG da BM, em Porto Alegre, visitei o deputado estadual Sergio Peres (PRB) que tive o privilégio de conhecer em 2002. O deputado, sempre com muito bom humor e cavalheirismo, também quis saber como esta o trabalho do novo Comando da BM e os principais desafios da gestão de polícia ostensiva no RS. Sérgio Peres almoçara com o comandante da BM, coronel Alfeu Freitas Moreira, dia 30 de março, no Quartel do Comando Geral.

Tenente-coronel Aroldo Medina