terça-feira, 8 de maio de 2012

3º Batalhão de Polícia Militar.


Depois de ficar quatro meses em licença saúde, após sofrer uma trombose na veia subclávia do lado esquerdo, baixar no Hospital de BM, de 04 à 23/12 de 2011, em Porto Alegre, recebi alta da Junta Médica.

Retornei ao 3º BPM, em Novo Hamburgo, no dia de hoje, onde assumi o comando do batalhão.


Na primeira foto que ilustra esta postagem, estou no gabinete de comando, ao lado da soldado Bruna, da seção de comunicação social, soldado Eninger e soldado Graziele, da Sub-seção de Justiça e Disciplina. Na segunda foto, ao lado da soldado Aline, do P-3 (seção de instrução). Todos excelentes militares do 3º BPM, motivo de orgulho da BM.

Major Aroldo Medina

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Entrevista para o History Channel.


Ontem, oito horas da manhã, ao chegar na Casa de Dom Inácio de Loiola me dirigi até a Livraria da Casa, a fim de pegar uma ficha de atendimento para revisão de cirurgia. No caminho, encontrei o obreiro Vinícius conversando com uma equipe de reportagem de TV. Parei e cumprimentei o Vinícius que ao me ver falou: "- Olha só! Ainda ontem pensei no senhor. E hoje, o senhor aparece aqui". Sorri diante da receptividade intuitiva do obreiro de João de Deus.


Ato contínuo, cumprimentei a equipe de TV e perguntei de onde eram. "- History Channel"! Respondeu com simpatia, a moça do jovem grupo. Fiquei surpreso com o destino, pois, sou muito fã do History. Em seguida a repórter me perguntou quem eu era e o que estava fazendo ali? Dois minutos após eu iniciar minha narrativa, Júlia, a repórter, perguntou se podíamos gravar. Prontamente, respondi que sim.

Resumi ao History minha história. Foram muito atenciosos. Pude relatar, com tranquilidade, a Júlia Nassif, Sebastian Menendez e Frederico Marion, as circunstancias que me trouxeram a Casa de Dom Inácio de Loiola. Ao término da entrevista entreguei um cartão de visitas à Júlia, dizendo que neste blog existiam várias postagens sobre minha experiência em Abadiânia.

Depois de concluir a entrevista ao History saí caminhando devagar, pensativo, considerando o encontro com os conceituadíssimos repórteres do famoso canal de TV à cabo, uma benção do Mundo Espiritual, ao lado da honra que é poder participar de uma programação de veiculação mundial, com edição de grande credibilidade.

Aroldo Medina

Em Abadiânia pela segunda vez.


Estou em Abadiânia, Goiás. Voltei para fazer a revisão da cirurgia espiritual que fiz há 40 dias atrás, com o médium João de Deus. Fui atendido ontem. O procedimento de revisão foi bem rápido. Ao chegar na presença do médium, ele psicografou num pequeno papel, uma receita prescrita pela entidade. Em seguida, passou as minhas mãos a receita e me encaminhou, prontamente, a uma sala de passes.

Nos 40 dias que sucedem a cirurgia espiritual a pessoa é orientada a tomar uma série de cuidados físicos. Nas primeiras 24 horas: repouso absoluto. Na quarentena a pessoa não deve ingerir nenhuma espécie de bebida alcoólica. Também não deve comer pimenta e carne de porco, incluindo derivados de ambos produtos. E, por fim, não deve ter relações sexuais no período. Os cuidados são justificados por se tratarem de elementos com fortes essências que interferem no tratamento espiritual. É recomendável, igualmente, manter na quarentena e mesmo após o seu término, uma atitude de harmonia com bons sentimentos, tais como: fé, amor ao próximo e a si mesmo, caridade e honestidade.

A Casa de Dom Inácio de Loyola estava repleta de pessoas. Cidadãos de todo o mundo aqui se encontram, numa atmosfera de paz. O lugar tem vocação para unir as pessoas, na fé em Deus.


Durante a realização dos trabalhos, enquanto as pessoas devem aguardar, pacientemente, o atendimento, sempre gratuito pelo médium João de Deus, os obreiros relatam aspectos da doutrina espírita.

Aroldo Medina

Correspondente gaúcho em Abadiânia.

terça-feira, 1 de maio de 2012

Dia do trabalho e do trabalhador.



Associo-me as homenagens hoje prestadas aos trabalhadores do mundo todo. O trabalho honesto dignifica o ser humano em todas as profissões. E, se conseguirmos amar o que fazemos e ainda manter o ideal acima de justo e merecido salário, seremos muito úteis a nós mesmos, a família e a sociedade.


Deus abençoe os trabalhadores do Brasil e do mundo, com harmonia, paz e prosperidade, iluminando e protegendo a todos em sua jornada de vida, dando-lhes sempre muita força e saúde para a realização dos seus sonhos, ao lado das suas famílias.

Aroldo Medina