sexta-feira, 28 de junho de 2013

Homenagem recebida

"Ao major Aroldo Medina o agradecimento dos oficiais, praças e funcionários civis pelos relevantes serviços prestados ao 2º Comando Regional de Bombeiros. São Leopoldo, 28 de junho de 2013. Vitor Hugo Cordeiro Konarzewski, tenente-coronel, comandante do 2º CRB".

São os dizeres da placa que recebi hoje, no quartel de São Leopoldo, durante almoço de despedida, com oficiais e praças do 2º Comando Regional de Bombeiros da BM, onde vivi um ano excelente em minha carreira PM, em plena harmonia e paz com meus nobres irmãos do Corpo de Bombeiros da Brigada Militar.

Recebi a placa em mãos do 1º sargento Roni Miguel Lopes Ayres, veterano da BM, 50 anos de idade, 25 anos de serviço, o mais antigo da guarnição, bombeiro de excelente caráter e exemplar profissionalismo.
 


Depois posei ao lado do prócer comandante do 2º CRB, tenente-coronel Vitor Hugo e do soldado Luís Rodrigo Bialoso, soldado padrão da BM. Para encerrar, uma foto ao lado dos comandantes das guarnições destacadas no Vale do Rio dos Sinos. Só boas lembranças!





Já me apresentei no QG da BM, em Porto Alegre e, estou na Ajudância Geral onde fui muito bem recebido pelo tenente-coronel Damásio e toda sua equipe de colaboradores, muito atenciosos e gentis.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

O exemplo do Hospital Independência de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

Alio-me aos brasileiros que desejam construir o país que cantamos em nosso hino. Estamos, finalmente, ouvindo o brado retumbante de um povo heroico contra uma série de males que afligem nossa nação. Creio que o maior de todos é a corrupção que corrói quase tudo, como uma peste maligna. Só não ataca o caráter de um ser humano honesto. A violência deve, igualmente, ser destacada e repudiada, com veemência.

Em meio a tudo o que estamos vivendo, quero dar um exemplo de esperança. Ontem, assisti aos protestos através de uma TV no Hospital Independência, em Porto Alegre (RS), onde fiquei das 18 as 10 horas da manhã de hoje, cuidando de minha mãe que luta pela sua vida, com a ajuda de médicos, enfermeiros e técnicos de alto gabarito profissional, num hospital 100% SUS, com excelente infraestrutura.

Depois de falir por má administração, o Independência reabriu há menos de um ano, totalmente reformado pelo Poder Público e sob administração privada da Rede de Saúde do Divina Providência que implantou um novo conceito no atendimento dos seus pacientes.

O Hospital Independência recebe, exclusivamente, pacientes do SUS, transferidos de outros hospitais. Não possui setor de emergência aberto ao público externo. E, esta ai o seu grande diferencial, total apoio de retaguarda, aos hospitais, respeitando, rigorosamente, sua capacidade de atendimento, dentro de padrões de controle de altíssimo nível, atenção e conforto para todos os seus pacientes.

No Independência o prédio parece novo, pois, a reforma foi feita com extraordinária qualidade. Desconheço o nome da empresa contratada para fazer a obra. É visível o capricho da reforma em todos os seus cantos. Os equipamentos são novíssimos. A UTI e os quartos tem infraestrutura dos melhores hospitais particulares. E, repito é tudo 100% SUS. O Independência não atende nenhum outro convênio. Creio ser o único deste padrão, em funcionamento no Brasil. Fui informado de que haveria um outro, em implantação na Bahia.

O mérito de sua administração deve ser creditado as irmãs do Divina Providência que são muito bem organizadas, seguem religiosamente os valores cristãos que preconizam e, montaram uma equipe de profissionais da saúde de alto gabarito que são, permanentemente, valorizados e motivados, em todos setores. O caos do SUS não se comunica no Independência.

A Prefeitura de Porto Alegre tem um papel determinante na sua manutenção, desde sua reforma e funcionamento atual, com apoio do Ministério da Saúde.

Todos os impostos que paguei durante toda a minha vida, me senti ressarcido, ao ter esse serviço público de saúde da maior qualidade, ao dispor da minha mãe, Nilva de Wallau Medina e, de tantas outras pessoas que vejo serem atendidas neste hospital que frequento, diariamente, há oitenta dias. O Brasil tem jeito!


Major Aroldo Medina

Novo Hospital Independência de Porto Alegre: organização e limpeza.




sexta-feira, 14 de junho de 2013

Sílvio Santos instala split em Canoas.

Comprei um aparelho de ar condicionado split (anti bactérias) para instalar em casa, no novo quarto de minha mãe. Pesquisei na Internet quem fazia instalação em Canoas. O destino me levou ao Sílvio, Silvio Santos de Oliveira, 42 anos de idade, 20 anos de profissão, trabalhando como instalador de ar condicionado.

O Sílvio foi muito profissional, educado, caprichoso e demonstrou ser conhecedor do seu trabalho. Leva consigo muitas ferramentas. Gosta do que faz e explicando porque trabalha com tanto capricho, falou: "Costumamos sempre fazer o serviço como se fosse para gente".

Outra qualidade é seu bom humor. Durante a instalação brincou quando eu perguntei quem lhe deu seu carismático nome. Antes de responder ele disse: "- O pessoal gosta, pois, pode dizer que o Sílvio Santos visitou sua casa". E prosseguiu: "- Só não tenho o baú da felicidade". E sorriu.

Quem lhe deu o nome foi sua avó, Eva dos Santos de Oliveira, mãe de sua mãe, em homenagem ao padre Sílvio, muito amigo de seus avós e pais. Como sua família é Santos, deu Sílvio Santos. Isto ocorreu em Lages (SC), nos anos 70.

Perguntei quantas instalações fazia por mês. Sua resposta me surpreendeu muito. Disse fazer uma média de 500 instalações por ano. Respondi: "- Pensei que fosse mais". Sua resposta: "- É que eu faço umas 1.000 reinstalações". Aí, como diz aquele ditado, "- Me caiu os butias do bolso".

Mil reinstalações! Olha só a quantidade de "serviço p#rc* sendo feito por aí! Com o Sílvio Santos (exemplo de brasileiro) que trabalha na Brastemac (51 3476-4470) com seu filho Silvio Santos Júnior, não tem erro, instalação garantida por 5 anos, com emissão espontânea de nota fiscal de prestação de serviço.

Aroldo Medina






terça-feira, 11 de junho de 2013

Montagem de móveis em Canoas.

Contratei o montador de móveis canoense Rodrigo Pires, 30 anos, para montar um guarda roupas em minha casa. Fiquei satisfeito com o seu trabalho e do seu ajudante, o jovem Kelvin Fantoni, 16 anos, natural de Sobradinho (RS). Foram bem rápidos e profissionais. Demonstraram ser pessoas de confiança. 100% aprovados em seu ofício.

O telefone do Rodrigo é (51) 8599-7970.

Aroldo Medina

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Integridade humana.

Ontem, visitei meu amigo Germano Rigotto, governador do Estado do RS 2003/2006, no seu escritório, em Porto Alegre. Se eu tivesse que definir Rigotto numa palavra, esta palavra é integridade.

Tive o privilégio de trabalhar ao seu lado, durante todo o seu governo, como chefe na Defesa Civil Estadual. Foi uma escola extraordinária. Em 2004/2005 tivemos mais de mil situações de emergência causadas pela estiagem que castigou a produção agrícola em nosso Estado.

Visitei mais de mil propriedades rurais em todo RS, fazendo vistorias. O trabalhador rural é um herói anônimo que atua com bravura diária, vencendo desafios permanentes ligados ao processo de plantar e colher o alimento que chega as nossas mesas.

terça-feira, 4 de junho de 2013

Coca cola: refrigerante de todas gerações.

Voltei feliz da visita que fiz nesta noite a minha mãe, Nilva de Wallau Medina, 77 anos, baixada na UTI do Hospital Independência, em Porto Alegre, onde está há 62 dias. Nas últimas 72 horas apresentou um quadro de melhora estável. 

Autorizado por um dos médicos que cuidam da mãe, semana passada comprei um rádio e levei para ela. É ouvinte assídua da Gaúcha.

Mas o motivo de minha alegria hoje foi ter encontrado a mãe bem acordada e lúcida. Tive dificuldade para entender o que ela me pedia. Esta sem voz, em função da traqueostomia que fez. Um largo sorriso nasceu no meu rosto quando entendi, finalmente, o que ela queria. Lendo seus lábios, não havia dúvida do que pedia: UMA COCA-COLA! O riso abundante ganhou toda minha face e chamou para a conversa a enfermeira que estava no quarto: " - Dona Nilva! A senhora vai beber a sua coca-cola, daqui mais alguns dias". Que assim seja!

O Hospital Independência que integra a Rede Hospitalar Divina Providência, administrado por irmãs unidas em Cristo, junto com sua equipe médica, enfermeiros, técnicos de enfermagem e quadro geral de funcionários é, disparado, o melhor hospital da Rede SUS do RS.


Aroldo Medina

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Desligamento do Corpo de Bombeiros da BM.

Ao retornar de breves férias, tomei conhecimento oficial hoje, da minha transferência para a Ajudância Geral da BM, localizada no QCG-BM, em Porto Alegre. O ato foi publicado no Boletim de Movimentação de Oficiais nº 020/DA de 23/05/2013. Ao me despedir, produzi a nota que segue:


Nota para Boletim Interno do 2º CRB nº  03/13 – São Leopoldo, RS, em 31 de maio de 2013. 

Tem este expediente a finalidade de registrar o reconhecimento deste oficial, ao efetivo do 2º Comando Regional de Bombeiros. Servi durante 350 dias no Corpo de Bombeiros da Brigada Militar onde imaginei que iria encerrar a minha carreira, já tendo completado 30 anos de efetivo exercício, no serviço público. 

Ingressei na Brigada, em 17 de fevereiro de 1986, através de vestibular da PUC-RS. Em todo este tempo na BM, onde trabalhei ligado ao policiamento ostensivo, afirmo com convicção que o período em que servi nos bombeiros foi de grande paz funcional e pessoal. Ambiente de trabalho no 2º CRB: EXCELENTE. Quisera ter descoberto os bombeiros antes. Teria feito esta opção há mais tempo. 

Este cenário leva-me a expressar total gratidão e reconhecimento a todo efetivo do Corpo de Bombeiros da BM, especialmente do 2º Comando Regional de Bombeiros e suas unidades subordinadas, no momento em que sou transferido desta exemplar organização militar. Sou plenamente agradecido aos oficiais em Comando que me oportunizaram esta experiência: coronéis Altair de Freitas Cunha, sub-comandante-geral da BM, na ocasião da minha transferência para o CB, em 19 de junho de 2012 e Guido Pedroso de Melo, comandante do CCB, junto com o tenente-coronel Vitor Hugo Cordeiro Konarzewski, comandante do 2º CRB. 

Todos esses 350 dias de trabalho nos bombeiros, sem exceção, foram de aprendizagem continuada, em contato com oficiais e praças que demonstraram qualificada formação e elevado conhecimento profissional. Digno destacar também os momentos que colaborei como instrutor de História da BM, Comunicação Oral e Escrita e Direitos Humanos, na formação dos novos alunos do Curso Básico de Formação de Bombeiro Militar 2012/2013, ministrado em São Leopoldo, Sapiranga e Taquara. Dei aula para 90 jovens de grande quilate moral e intelectual que representam com a maior dignidade, a nação brasileira. 

Os bombeiros da Brigada honram a farda que usam e se constituem num sólido alicerce de credibilidade de toda corporação brigadiana. Trabalham de maneira abnegada. São dedicados ao serviço e não medem esforços para sempre responder presente, aonde quer que uma pessoa acione o Corpo de Bombeiros, nas mais diversificadas situações de emergência, em que a vida esteja ameaçada. Seu valor esta muito acima do salário que recebem do Estado. Suas famílias, filhos e incontável número de pessoas, entre as quais me incluo, os têm como verdadeiros heróis nacionais. 

Nesta breve passagem pelos bombeiros da BM, tomei conhecimento de relatos que levarei guardados no coração de muitos que levam no corpo, as marcas dos ferimentos que sofreram salvando vidas. Fazem jus ao titulo de anjos da guarda, assim como a inspiração que fazem brilhar nos olhos das crianças que os veem como aqueles que têm força gigantesca quando o perigo espreita o mais frágil ser, seja ele humano ou animal. 

A história e a literatura são repletas de exemplos destes homens e mulheres que andam atrás de sirenes, determinados em enfrentar o caos que os aguarda nos incêndios, nas enchentes, nos vendavais e em toda sorte de outros desastres que sucumbem diante da coragem e da força moral que os distingue. Por sucessivos parágrafos poderia continuar descrevendo a vida dos homens e mulheres que fazem da profissão de bombeiro, um sacerdócio. Homens e mulheres que entram num caudal de ferro e fogo, desafiando a morte para salvar uma única vida. 

Mas a poesia de sua existência honrada deve ser resumida. Deve ser simples como uma obra de Deus. Resta-me, portanto, finalizar num rito honroso da nossa cultura organizacional, convertendo estas palavras, em elogio legítimo a todos oficiais e praças do 2º CRB, nos termos desta nota, devendo constar dos seus assentamentos. 

E, por derradeiro, uno minhas mãos para pedir a Deus que esteja sempre com estes valorosos trabalhadores brasileiros, os protegendo e os amparando com toda a sua Corte Celestial, governada no planeta Terra, por nosso irmão Jesus Cristo, grande profeta do amor ao próximo, em quaisquer circunstâncias. 

Assim, perfilo-me diante destes combatentes de alma nobre, tomo minha posição de sentido mais garbosa, para lhes prestar minha continência sincera e dizer bem alto: senti a maior honra e orgulho em minha vida de ser: bombeiro da Brigada Militar. 

E, com toda certeza, o continuarei sendo, em meu coração. 

Major Aroldo Medina – Estado Maior do 2º CRB.