terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Ladrões roubam caminhão dos Correios diariamente.


Ontem fui ao Correio postar a devolução de uma máquina de tosquiar nova que havia comprado como presente de natal, para minha filha Natália Medina. A máquina que a Natália iria usar para embelezar a cachorrada que ela cuida, veio com defeito.

Então perguntei se podia declarar o conteúdo do pacote. Sim e, a atendente ainda disse que eu poderia fazer um seguro, pagando 1,5% do valor do objeto declarado. Achei interessante a ideia do seguro, principalmente porque um colega da balconista entrou na conversa e disse que todos os dias, um caminhão dos Correios é atacado no Brasil e, tem toda a sua carga roubada.

Achei a estatística alarmante. Um caminhão dos Correios atacado diariamente e, a maioria, ao longo da BR 116. E, um dos itens mais cobiçados pelos ladrões são cargas que contenham perfumes, mercadoria fácil de vender.

Olha, admiro o trabalho dos Correios e, principalmente, seus funcionários que prestam um serviço de grande relevância em nossas vidas. E, cada vez mais vemos a importância das polícias civis e militares, estaduais e federais, no combate aos criminosos e na defesa de todos nós, a despeito dos governos tratarem os trabalhadores da segurança pública e de outras categorias de funcionários públicos, como vilões da falência do Estado.

Aroldo Medina



sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

13º salário dos servidores do Estado do RS.

Dizer que o Governo do Estado do RS "marcou toca", em não se antecipar na solução do mega problema dos funcionários públicos do Poder Executivo do Estado do RS que anteciparam o 13º salário de 2016 é um eufemismo muito brando. A bem da verdade, o Governo se fez de louco mesmo, mais uma vez.

Todos os funcionários públicos do Executivo gaúcho que anteciparam o décimo terceiro de 2016, salvo raríssimas exceções, terão suas contas negativadas e bloqueadas, na próxima terça-feira, dia 20/12, quando o banco vai debitar o valor integral do décimo adiantado, mais os juros, na conta do vivente.

O Governo podia ter se antecipado ao problema e, buscado uma solução semelhante a de outros anos, quando ajustou com o BANRISUL que o décimo fosse pago, em condições especiais, onde o Estado do RS, como pessoa jurídica, assumia a responsabilidade da quitação do empréstimo de cada funcionário. Em linhas gerais era isso. Esta operação estaria vetada este ano, por um apontamento do Tribunal de Contas do Estado do RS. Não sei se isso é verdade ou é desculpa para não pagar o décimo terceiro, nos moldes de anos anteriores.

O fato é que esse tipo de negligência governamental vai tumultuar ainda mais, a vida de milhares de servidores do Estado do RS, já sacrificada pelo parcelamento dos salários. E, no meio policial gaúcho que vive um stress agudo permanente por vários fatores, o choque de ver a conta negativada, presumivelmente, vai acarretar em tragédias pessoais que não pouparão famílias inteiras, de muito sofrimento.

Curto e grosso, escrevendo o óbvio: o não pagamento do 13º só agrava a crise financeira que vivemos. Com a conta negativada, o cliente é engolido pela bola de neve dos juros das contas atrasadas. E, o Estado sai perdendo porque o cidadão vai atrasar o IPTU, o IPVA, entre tantas outras contas que vão jogar a economia na lona.

O Banrisul esta trabalhando para oferecer alternativas para o cliente não ter a sua conta negativada e bloqueada. Iniciativa do banco. Mas, por melhor que seja o esforço e boa vontade do Banrisul, em auxiliar na solução deste problema, ela será um paliativo, pois, deverá passar por mais endividamento da pessoa física e, o alongamento de dívidas já existentes, o que deve ser evitado a todo custo.

Aroldo Medina

P.S. O não pagamento do 13º é só no Executivo.


quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Nilva Medina, 81 primaveras.

A pessoa mais importante da minha vida, completa, hoje, 81 primaveras.
Todos os dias de tarde, faça chuva ou faça sol, 15 horas, pego minha mãe no colo, tiro ela da sua cama hospitalar, aqui em casa, coloco a mocinha na sua cadeira de rodas e, vamos tomar nosso mate.
A conversa corre solta. Dia destes ela me perguntou, quem tinha surgido primeiro no mundo. Teria sido o homem ou a mulher? Divaguei sobre a teoria criacionista e a evolucionista. Atentamente, ela acompanhou as explicações e, no final, arrematou: "- Aroldo! Boa explanação, mas ainda continuo em dúvida. Tu não me respondeu quem surgiu primeiro." Então tá!
Ontem, apreciando junto com o chimarrão, uma guloseima apetitosa chamada pipoca, herdada dos índios, segundo o coronel Hélio Moro Mariante, resolvi provocar a mãe. Eu disse: "- Sabe que tem umas pessoas pelo mundo que chegam, a vender a mãe, para fazer um bom negócio?" Ela me olhou intrigada, franziu a testa e, sem titubear, disparou: "- Tá pensando em me vender?" Mais rápido ainda, respondi: "- Claro que não. Não venderia nem por um bilhão de dólares". Ela sorriu, estendeu a mão e, se inclinou aproximando o rosto, para me dar um beijo, bem faceira.
Compartilho com todos, a felicidade de festejar as 81 primaveras de minha mãe, Nilva De Wallau Medina, imaginando que todos os filhos gratos devem sentir o mesmo pelas suas. E, felicito ainda, todas as mães, atuais e futuras, reverenciando também as que já partiram para a próxima dimensão de vida, pela dádiva de trazerem a este mundo, todos nós, fazendo-nos seres humanos melhores, através do amor que plantam em nossos corações.
Por fim aduzo, pelo que acabei de escrever, que quem chegou primeiro por aqui, foram mesmo as mulheres.
Fraterno abraço! Deus e o mestre Jesus, estejam sempre entre nós, abençoando, iluminando e protegendo.
Aroldo Medina

sábado, 19 de novembro de 2016

Cavalaria da Brigada Militar contra manifestantes.

A Brigada Militar não deve usar a cavalaria contra manifestantes contrários ao pacote de medidas do governo José Ivo Sartori, a ser anunciado na próxima semana, como antecipam assessores do Governo do Estado, dentro do Piratini, de acordo com a matéria publicada em Zero Hora, ontem.
A assessoria que proclama ação da cavalaria brigadiana e coloca sua estratégia de repressão anunciada, no casco dos cavalos, semeia ventos, para colher tempestades. Os comandantes de tropas da Brigada, não podem embarcar nessa canoa furada.
Felizmente, temos uma imprensa livre, atenta na cobertura de fatos governamentais de grande impacto social e pode publicar, sem censura, cenários de conflitos em gestação que podem ser evitados.

Aroldo Medina

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

SUSEPE deixa de transportar presos no RS.

Fui atacado por dois bandidos que tentaram roubar meu carro, numa sinaleira de Novo Hamburgo, em abril do corrente ano. Armado, reagi e prendi um dos criminosos.

A primeira e a segunda audiência no Foro de NH, para tratar do caso, foram frustradas pela ausência do réu que deixou de ser transportado pela SUSEPE (Superintendência dos Serviços Penitenciários) do RS.

Na primeira vez fui informado que o réu não estava presente porque a SUSEPE, não teve efetivo para levar o preso até a presença do juiz. Na segunda audiência, esta semana, porque os agentes penitenciários protestavam contra o parcelamento dos seus salários. O Governo do RS paga o salário mensal de todo funcionalismo gaúcho do Poder Executivo, em várias parcelas, há nove meses.

O Estado claudicante coloca em risco permanente a vida de todos seus cidadãos, ao não priorizar o funcionamento do sistema de segurança pública e judicial.

A ausência do réu na audiência do seu julgamento, pelos motivos expostos, o beneficia, facilitando sua soltura e impunidade.

Aroldo Medina

Leia mais em: Notícia sobre o transporte de réus presos.



quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Super herói na contra mão.

Enquanto algumas crianças incorporam super heróis no seu imaginário saudável, juvenil e idealista, querendo salvar o mundo de vilões e bandidos, espelhando-se em heróis da ficção ou mesmo inspirando-se no próprio pai e, até mesmo em policiais e bombeiros, outras crianças estão abandonadas a própria sorte.
Ontem o gerente de um banco contou-me que haviam roubado seu carro em Porto Alegre, no último final de semana, por volta das 17:00 horas, quando chegava em sua casa.
Meu amigo voltava do supermercado. Parou o carro, desceu, deu uma olhada nos arredores, por precaução. Viu apenas um casal com uma criança, nas proximidades. Então abriu o porta-malas e, pegou as sacolas do mercado. Numa fração de segundos, viu um moço de vinte e poucos anos avançar correndo, na sua direção.
Com uma pistola na mão, o bandido aos gritos de "- Não te mexe ou eu te mato", rendeu o gerente e foi logo enfiando a mão nos seus bolsos, pegando a chave do veículo, carteira, celular, diante do congelamento da vítima, com as sacolas na mão.
Vieram a mulher e a criança e entraram no carro, sem cerimônia. O criminoso passou então a fazer uma busca pessoal na vítima, tipo "revista policial", apalpando-lhe ao redor da cintura e nos tornozelos, perguntando se o gerente "NÃO ERA POLICIAL". Se fosse, estaria morto a essas horas.
Satisfeito com o resultado, o bandido entrou no automóvel e saiu "cantando pneu", sob o olhar atônito do gerente que gravava em retina, a fuga de um casal jovem, com uma criança que jamais vai conhecer o sentido de brincar de super herói.
Aroldo Medina

sábado, 29 de outubro de 2016

Nelson Marchezan ou Sebastião Melo?

A RBS TV promoveu ontem, à noite, o último debate entre os candidatos à prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan (PSDB) e Sebastião Melo (PMDB). O tom da conversa entre os postulantes ao paço municipal foi bem áspero. Melo foi para o ataque, desde o início. Marchezan se defendeu.

Na véspera da eleição de 2º turno, a grande maioria dos eleitores já decidiu o que vai fazer e, o debate pouco vai interferir no resultado que deve dar a vitória a Marchezan, com uma margem acima do percentual que as pesquisas de última hora lhe atribuem. O eleitor esta descontente com a política, mas repudia ainda mais a candidatura que passa o tempo todo desqualificando o adversário, tirando o foco das propostas.

O candidato do PSDB, Nelson Marchezan Júnior, é jovem, determinado e reúne boas qualidades para dar uma boa sacudida na administração da cidade que patina na falta de segurança pública, remancha em demandas de saúde, claudica na educação que pode melhorar ainda muito mais e, anda a passo de lesma em obras públicas que se arrastam por anos. Marchezan fará bem a cidade.

Aroldo Medina

Deputado Nelson Marchezan (+44%) e vice-prefeito Sebastião Melo (+36%)

Última pesquisa Ibope/RBS:

Marchezan 56% ; Melo 44% = votos válidos.



quarta-feira, 12 de outubro de 2016

PV apoia Marchezan em Porto Alegre.

Compareci, hoje de manhã, no Comitê do deputado Nelson Marchezan, na avenida Ipiranga, em Porto Alegre, junto com Marcio SouzaAlvaro Troviscal e outras lideranças e militantes do Partido Verde.
Analisando a proposta dos candidatos a prefeito de Porto Alegre, resolvi votar no Marchezan, por acreditar que esta, de fato, preparado e imbuído para melhorar os indicadores que avaliam a qualidade de vida dos porto-alegrenses.
Confesso que cheguei mesmo a pensar em anular o voto ou mesmo votar em branco no primeiro turno, o que nunca fiz na minha vida de eleitor, mesmo descontente com a classe política. Mas, depois de muito pensar, concluí que essa atitude não resolve, absolutamente, nada mesmo. Então, meu voto foi para o Marchezan no primeiro turno e, vai agora de novo, no segundo.
A propósito, hoje ouvi umas propagandas do Melo, no rádio e, vi uma na TV, com um repórter conhecido (Isso é legal?), baixando o nível, atacando descaradamente o adversário, com argumentos pífios. Só posso chegar a uma conclusão: puro desespero. O que reforça minha opção e, me leva a este posicionamento público. Esta na hora de mudar, pelo bem de Porto Alegre.

Fraterno abraço a todos.

Aroldo Medina - 30 anos de BM, 28 trabalhados em Porto Alegre.


Fotos: Alfonso Abraham.




quarta-feira, 5 de outubro de 2016

La Urna - Grupo RBS - Jornal Zero Hora

La Urna, é um programa de entrevistas ligado a editoria política do jornal Zero Hora, focado em mostrar aos seus telespectadores, com bom humor, sacadas inteligentes e edição muito criativa, as contradições do discurso de personalidades públicas, principalmente, de políticos.

A equipe de jornalistas é formada por Paulo Germano, Arthur Gubert, Débora Cademartori e Luciano Potter que compõe um time descontraído e muito sagaz, com tiradas que põe os candidatos em saia justa, na hora de responder as perguntas.

Suas entrevistas, além de nos proporcionar boas risadas, nos fazem enxergar além do fotoshop aplicado na imagem das candidaturas, pelo próprio candidato e suas assessorias.

Entre tantas entrevistas já produzidas pelo La Urna, destaco as recentes gravações com os candidatos a prefeito de Porto Alegre, nas eleições de 2016:

FÁBIO OSTERMANN

JOÃO RODRIGUES

JÚLIO FLORES

LUCIANA GENRO

MARCELO CHIODO

MAURÍCIO DZIEDRICKI

NELSON MARCHEZAN

RAUL PONT

SEBASTIÃO MELO


quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Eleições 2016: o voto em branco e nulo.

Isto É publica interessante explicação sobre o voto em branco e nulo, numa eleição. Em síntese: o voto em branco ou nulo, não vale nada.

A reportagem fala também sobre uma nova regra que estabelece que qualquer candidato para ser eleito, a partir de agora, precisa fazer, no mínimo, 10% dos votos do quociente eleitoral.

A reportagem pode ser lida em: Isto É - Eleição 2016.

Aroldo Medina

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Justiça em cheque.

Dia 23 de abril de 2016, dois bandidos me atacaram numa sinaleira, tentando roubar meu carro. Fora do automóvel, reagi atirando contra eles. Fugiram a pé. Fui atrás. Prendi um. Ontem foi a primeira audiência, cancelada porque a SUSEPE não pode levar o preso até o Foro da Justiça. Por esta razão, participei da reportagem veiculada na TV, pelo RBS Notícias, nesta quarta-feira, dia 31 de agosto de 2016, 19:15 horas e, resolvi gravar este VÍDEO.

Aroldo Medina

Referência: Audiências deixam de ser realizadas no RS por falta de agentes penitenciários.


segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Força Nacional em Porto Alegre.

Sexta-feira, 26/08/16 foi noticiado aqui no RS que seriam 200 (duzentos) PMs da FN. Chegaram 120 (cento e vinte). É um contingente bastante pequeno para o tamanho da demanda por segurança pública em nosso Estado. Naturalmente, são bem vindos!

O governo do Estado tem grande responsabilidade no agravamento da crise em nossa segurança publica, pois,  em pouco mais de um ano e meio "tocou o horror" no meio da polícia gaúcha, ameaçando direitos e parcelando os salários de policiais civis e militares.

Resultado: 3.000 PMs (sim, três mil) pediram sua aposentadoria, por falta de "jogo de cintura" do Governo Estadual. E quem paga a conta é a população infernizada por bandidos que saltam sobre nós, em toda hora e lugar, nos matando como ovelhas.

Aroldo Medina

Leia a notícia em: G1.


sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Um balanço da segurança pública no Estado do RS.

Últimas 24 horas no RS: O secretário de segurança pública do Estado do RS, Wantuir Jacini, delegado de polícia, pediu para sair. O Governo do Estado encarregou o pecuarista José Paulo Cairoli, vice-governador, de constituir um gabinete de gestão da crise na segurança. O governador José Sartori viajou para Brasília a fim de pedir socorro para a Força Nacional. A imprensa noticia que o Governo Federal autorizou a vinda de 200 PMs da FN para o RS.
Delegado Wantuir Jacini

Os 200 homens da Força Nacional constituída por policiais militares, inclusive da própria BM, devem atuar em Porto Alegre. O Governo do Estado defende o emprego desses homens, na guarda externa de presídios gaúchos, hoje guarnecidos pela Brigada Militar. A FN tem cultura organizacional para atuar em presídios amotinados. Não tenho conhecimento que tenham atuado nos moldes que a BM trabalha hoje na administração e guarda dos presídios gaúchos, há mais de 20 anos.

A Força Nacional chegará no RS, nas próximas horas, com pompas e honra. Fora da badalação, se não cuidarmos, ficarão mal alojados em qualquer lugar, sem camas e banheiros dignos. Não tardará para ficarem em cheque, frente ao primeiro latrocínio tão bárbaro quanto aos que temos assistido nos últimos dias, depois da sua chegada.


Enquanto fazemos a festa aos heróis da FN (são heróis mesmo), esquecemos dos nossos heróis da BM, da PC, do IGP, da SUSEPE e tantos outros que continuarão aqui depois da partida da FN, enfrentando a bandidagem, em condições de trabalho precárias e recebendo o salário parcelado.

Eufóricos com a ficção, esquecemos que 3.000 brigadianos se aposentaram em 2015/2016. Sim, TRÊS MIL PMs foram para a reserva, em pouco mais de um ano e meio, com o ingresso de apenas um punhado de novos policiais, numa corporação que dispõe de 21.000 (vinte e uma mil) vagas.

E, causa-me indignação intelectual só de pensar que não faltam sujeitos que se atrevem a culpar a aposentadoria dos policiais pela falta de segurança pública. Esquecem, os incautos, que em 30 anos de serviço defendendo a Sociedade hoje refém dos bandidos, sacrificamos a saúde, quando não somos despachados para o cemitério, durante o serviço. Nos aposentamos doentes, sequelados com graves problemas cardíacos, circulatórios, psiquiátricos, diabetes, hipertensão, etc. A lista é longa.

Mas voltando ao foco, enquanto badalamos a chegada de 200 guerreiros, bem vindos, se o governo estadual não tivesse pisado na bola, acelerando a saída de muitos policiais gaúchos, com ideias mirabolantes de retirada de incentivo a permanência de policiais com mais de 30 anos de serviço, revisão de direitos e de um salário parcelado que só perde para dois Estados brasileiros que pagam pior a sua polícia, muitos desses três mil brigadianos ainda estariam trabalhando.


A Sociedade Gaúcha não merece o que esta acontecendo. E, o que é pior, vamos continuar assistindo os bandidos nos atacarem, matarem inocentes a sangue frio e, até esquartejarem, durante a permanência temporária da FN em solo gaúcho e, depois que tiverem partido.

Por fim, alguém pode perguntar então: qual a solução? Política de Estado de Segurança Pública. Não política de governo. Isso vale para educação e saúde. PREVENÇÃO. Os bandidos só vão respeitar a sociedade com polícia na rua. Polícia na rua. Polícia ostensiva e polícia judiciária, com corregedorias fortes, sem esquecer de valorização e ampliação da polícia técnica, do IGP-RS (Instituto Geral de Perícias) que sonha com um laboratório tipo CSI há mais de 30 anos. Também é preciso muitos mais agentes penitenciários. Isso é só o começo da solução, no médio e longo prazos. Só o começo.
Brigada Militar: Força e Honra!

Não existe solução no curto prazo. Quem diz que há, está nos iludindo. "- É conversa para boi dormir", como diria o Guri de Uruguaiana.

Aroldo Medina
30 anos de serviço policial militar.


Nota editorial, adicionada em 29/08/2016, 08:40 horas: quando fiz a postagem originalmente, sexta-feira, próxima passada, era noticiada a vinda de 200 policiais militares da Força Nacional. Baixaram para 150 e, chegaram ontem no RS, 120 PMs da FN. O efetivo, temporário, ratifico, é insuficiente para atender a enorme demanda por segurança pública no Estado do RS. (A.M.)

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

55 anos do presidente Barack Obama.

Desejo vida longa, com muita saúde e paz, ao presidente Obama, no transcurso do seu aniversário de 55 anos de idade, ao lado de seus familiares, amigos e do povo americano. Rogo a Deus que o ilumine sempre.

Gosto muito dele. Inspira-me toda confiança que um governante de caráter integro desperta naqueles que admiram um político capaz e honesto.

Fraterno abraço, Presidente!

Aroldo Medina

Nilva de Wallau Medina: grande mãe.

Minha mãe, Nilva de Wallau Medina. A pessoa mais importante em minha vida. Em breve, fará 81 anos, com a graça de Deus e do mestre Jesus.

Esta foto foi tirada pelo meu grande amigo Alfonso Abraham, no último sábado, dia 30 de julho de 2016, em nosso domicílio, na cidade de Canoas. O Espanhol, como também é conhecido o Alfonso, veio com todo um aparato de estúdio para "clicar" a mãe. Vendo a mocinha bem animada, não resisti ao apelo que ela me fez para participar da foto, indo fazer a barba e me fardar, a fim de tirar o retrato ao lado dela. Aí esta o resultado.

Obrigado! Espanhol. Pelo presente da imagem que ficará eternizada não só no retrato, mas, principalmente, em nosso coração que transpira felicidade que tomo a liberdade de compartilhar com todos que visitam este espaço.

Grande abraço, com força e honra!

Aroldo Medina

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Dom Quixote.

Dom Quixote! Esse personagem me encanta, principalmente diante das adversidades. Refugio-me nele quando os Moinhos sopram guinchando tempestades. Deixo-me derrubar do cavalo, para Rocinante abrigar-se ao meu lado.


Morridos, nos deixamos sepultar. Ganhamos então, nossa lápide segura. Em cima dela ouvimos Sancho choramingar, lamentando a perda da sua ilha. Adormecemos em sono profundo.

Mas o tempo há de passar e, juntos Dom Quixote e Rocinante levantam da sua cova escura, ressurgindo com a esperança que jamais se deixou sepultar, bradando e tilintando novamente, uma espada que clama por justiça, em defesa de um povo subjugado pela educação roubada.

Aroldo Medina



quarta-feira, 25 de maio de 2016

Uber Porto Alegre

Por indicação de um amigo, André Emerich, baixei o aplicativo do Uber, no meu celular. O André, um jovem micro empresário da área de tecnologia da informação, garantiu que eu não precisava ter receio nenhum em informar, previamente, o número do meu cartão de crédito, ao me cadastrar no Uber, motivo pelo qual não havia feito meu cadastrado antes.

Costumo utilizar o serviço de táxi, em Porto Alegre, regularmente. Dia destes, atrasado para um compromisso, acionei o aplicativo em meu celular. Em poucos instantes fui informado que um carro já estava em deslocamento para me buscar, em 5 minutos. Na tela do meu celular apareceu a foto do motorista, seu primeiro nome e a placa do seu veículo. Logo em seguida, um mapa me mostrava o trajeto do "veículo Uber", indo ao meu encontro.

No tempo estimado, um motorista muito educado e atencioso, estava a minha disposição, com uma água a bordo, como cortesia. Bebi a água, observando o carro bem limpo, com temperatura no seu interior bem agradável. Fui conversando com o motorista do bairro Partenon até o Centro de Porto Alegre, encantado com o serviço. Para mim ainda foi uma surpresa a exigência de dar uma nota para o motorista, de uma a cinco estrelas e, também receber uma nota como passageiro. Naturalmente, classifiquei o motorista com cinco estrelas, vindo a saber posteriormente que também fui classificado como um passageiro cinco estrelas.

Depois desta experiência bem agradável como passageiro do Uber, passei a acompanhar a polêmica do aplicativo causado entre os motoristas de táxi e, conversando com as pessoas sobre esta pauta "quente", constatei um cenário digno de nota.

O Uber é uma empresa multinacional norte-americana de transporte privado, com um capital de 62 bilhões de dólares, fundada em 2009, por Garrett Camp e Travis Kalanick, existente em 70 países e 444 cidades.

A seleção dos motoristas que se tornam parceiros da empresa começa pela exigência de que a carteira de habilitação para dirigir do candidato tenha observação de que ele exerce atividade remunerada (EAR). O candidato vai até um CFC (Centro de Formação de Condutores) habilitado pelo DETRAN, paga uma taxa e passa por um exame psicológico, atualmente, bem profissional, sendo entrevistado por uma psicóloga e fazendo um exame psicotécnico escrito. Aprovado, recebe a carteira, com a observação exigida.

O próximo passo é a exigência de atestado de bons antecedentes que pode ser obtido pela internet, desde que o candidato já esteja cadastrado no banco de dados digital do Instituto de Identificação do seu respectivo Estado. Vencida esta etapa, o Uber exige um seguro APP (Seguro de Acidentes Pessoais de Passageiros) de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais), por passageiro, facilmente obtido através da Previlemos Seguros.

Aprovado nestas etapas, o motorista, depois de remeter esta documentação via celular ou e-mail para o Uber, deve enviar cópia da documentação em dia do veículo, com ano de fabricação acima de 2008.

Uma empresa contratada pelo Uber vai checar a documentação enviada pelo candidato a motorista, conferindo sua autenticidade. Não havendo problemas com o motorista e sua documentação, ele é ativado pelo Uber e pode passar a prestar o serviço,  atualmente proibido pela Prefeitura de Porto Alegre.


Por que o Uber faz sucesso?




Essa pergunta é inevitável. Conversando com pessoas que utilizam o Uber como passageiros, foram unânimes em afirmar que aprovam 100% o serviço. Os pontos a serem destacados são:

1) A segurança do passageiro. Ao acionar o serviço, o passageiro vê na tela do seu celular, a foto do motorista, seu primeiro nome e a placa do veículo que vai buscá-la;

2) O carro esta rigorosamente limpo e em perfeitas condições de trafegabilidade, sendo dirigido por um motorista bastante atencioso e educado que oferece ao passageiro pequenas regalias, tais como água fresca, balas, bombons, chicletes, entre outras guloseimas, além de carregador de celular ou até mesmo Internet;

3) No final de cada viagem, motorista e passageiro são avaliados. Tanto motorista como passageiro devem manter uma média de avaliação elevada, acima de 4,7 estrelas. Se baixar dessa média existe um alerta do aplicativo. Se a nota não melhorar após o alerta, motorista e passageiro estão sujeitos a serem excluídos do Sistema Uber. E, basta que a média baixe de 4,3 para exclusão sumária do Sistema;

4) Tanto motorista como passageiro não utilizam dinheiro, toda transação é feita através de cartão de crédito, previamente cadastrado no Sistema Uber;

5) Não há troca de dados pessoais entre os participantes do Sistema Uber, o que assegura impessoalidade na prestação do serviço de motorista, com profissionalismo que busca excelência como padrão permanente.


O Uber e as mulheres.


Um dado que deve preocupar as autoridades é o fato de expressivo número de mulheres informarem sua preferência pelo Uber para evitar o assédio. É cada vez mais frequente grupo de mulheres voltarem para casa usando o Uber, depois de deixarem barzinhos e outros locais de festa, pois, se sentem mais seguras.


Taxistas e o Uber.

Taxistas que são bons profissionais devem estar atentos ao porquê de estar havendo uma migração de passageiros para o Uber. As principais reclamações estão focadas na postura e na indumentária do motorista, junto com as condições interna e externa do veículo.

Muitos passageiros entendem que o traje do motorista deve evitar bermudas e sandálias, assim como dirigir com a camisa semi-aberta, em dias de calor. Fumar dentro do veículo deve ser tabu, pois, o odor incomoda bastante o passageiro que não é fumante, assim como perfumes extravagantes dentro do veiculo ou mesmo usado pelo motorista. O ambiente interno do veículo deve ser o mais neutro e agradável possível. Táxis enfileirados na saída de shows ou barzinhos, com motoristas dentro ou fora dos seus veículos, devem se abster de fazer piadinhas para as gurias que estão saindo das festas. Durante uma corrida, não atender ao telefone ou utilizar aplicativos de celular, principalmente o Whatsapp.

E, por mais óbvio que pareça, o motorista deve dirigir de forma cortês, por mais difícil que seja essa conduta, nos dias de hoje, num trânsito conturbado, respeitando as regras de trânsito, principalmente, os limites de velocidade, não transmitindo para o volante, eventuais problemas pessoais.

Quanto ao veículo deve estar sempre bem limpo, com a manutenção em dia, sem ruídos que possam incomodar os passageiros, inclusive o próprio rádio, ligado em volume ou mesmo estação indesejada pelo cliente.


O Uber e sua regulamentação pela Prefeitura de Porto Alegre.

Brigar com o Uber não é a atitude mais sensata, uma vez que um contingente enorme de cidadãos de Porto Alegre aprovam o serviço.

444 cidades, em 70 países tem o aplicativo operando. O transporte de passageiros não deve ser monopolizado. O mercado deve ser o seu principal regulador. Lendo as propostas da Prefeitura de Porto Alegre para regulamentação do serviço, constato que tem uns itens bem desnecessários, até mesmo imprudentes, como por exemplo que o motorista parceiro do Uber trabalhe com o seu veículo identificado. Identificar o veículo é "carimbar confusão", pois, não faltará taxista para hostilizar o motorista do Uber ou mesmo danificar o seu veículo.

A propalada necessidade de controle do Uber pelo poder público é questionável, porque o maior controlador do serviço do Uber é o próprio usuário. Basta que ele dê uma única estrela para o motorista que não observar as regras de excelência na prestação do serviço de motorista que ele esta, sumariamente, excluído do Sistema Uber. Quer melhor controle do que este? E, não dá para esquecer que o passageiro sabe a placa do veículo que ele vai usar, previamente. É muito mais segurança. Tem moças que pegam um táxi em Porto Alegre e vão a viagem toda "telegrafando" pelo Whats para o pai, a mãe ou o namorado, o percurso que estão fazendo até o seu destino.

Epílogo.

Tenho respeito pelos taxistas, bons profissionais e homens de bem. E, como disse no início deste relato, utilizo táxi com frequência em Porto Alegre. Penso que o serviço do Uber deve inspirar bons taxistas que devem denunciar eventuais donos de táxis e motoristas ligados ao sub-mundo do crime, como por exemplo o emblemático caso do bandido Xandi.

E, não adianta o taxista ficar bravo com algumas constatações que relatei aqui, pois, são fruto de uma coleta de informações feita com responsabilidade.

Aroldo Medina
Tenente-coronel da Brigada Militar - 100% Ficha Limpa
30 anos de efetivo serviço policial militar ao RS


Outras referências:

Exemplo de inclusão: surdez não impede jovem de ser motorista no Uber.

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Caridade

Porto Alegre, Praça da Alfândega, 08:43 horas, tempo nublado, sensação térmica de muito frio, com vento congelante. Dirijo-me a Policlínica Odontológica da BM, próxima ao QG da Brigada. Percebo um homem caminhando na minha direção. Rápido. Fixo meu olhar nele. Distante de mim ele fala: "- Chefe! Quanto tempo."

Ao se aproximar, frusta seu semblante, recua e, pede desculpas. Confundiu-me com outra pessoa. Prepara-se para ir embora. Eu o chamo de volta, fazendo um sinal com a mão. Pego minha carteira no bolso da calça, tiro dez reais e lhe alcanço, surpreendendo o morador de rua que abre um largo sorriso e diz com entusiasmo: "- Hoje, vou almoçar bem. Obrigado!" 

Olho o rapaz de vinte e poucos anos, com alegria no coração e, só escrevo sobre este gesto que deve ser anônimo, porque recebi do desconhecido morador de rua, um presente inesperado que desejo compartilhar a felicidade que me proporcionou. Ele pulou na minha direção, me deu um beijo no ombro e saiu saltitando, erguendo a nota de dez reais, cantarolando "- Hoje, eu vou almoçar bem. Hoje, eu vou almoçar bem".

Aroldo Medina



quinta-feira, 31 de março de 2016

Aniversário

52 anos. O tempo passa depressa, mesmo. Já perdi a conta de quantas árvores plantei. Gosto de plantar. Há poucos dias eu e a minha mãe plantamos uma caneleira, no pátio de casa. Como diretor cultural do Grêmio Estudantil Maria Auxiliadora, em Canoas, em 1981, produzi um jornalzinho, minha primeira publicação, impressa no mimeógrafo da escola. Depois seguiram-se outras obras, jornais, revistas e livros, produzidos no meio militar. E, fui abençoado com minha filha Natália Medina, de quem me orgulho muito. Acadêmica, será uma grande médica veterinária. Rogo a Deus saúde que desejo a todos e, força para continuar plantando e, colaborando com a construção de um mundo melhor.
Aroldo Medina



O sargento Juarez Pereira brindou-me ontem, com uma foto que expressa bem o que sinto nesse cinquentenário: responsabilidade.


quarta-feira, 30 de março de 2016

Frente Parlamentar da Segurança Publica RS.

Convidado, compareci na cerimônia de instalação da Frente Parlamentar da Segurança Pública da Assembléia Legislativa do Estado do RS, hoje no início da tarde.
Os 55 deputados que compõe o Parlamento Gaúcho assinaram o protocolo de constituição da nova FPSP presidida pelo deputado Jorge Pozzobom (PSDB). Aliás, uma excelente escolha dos deputados, colocar na liderança dos trabalhos, um parlamentar do gabarito moral e intelectual de Jorge Pozzobom.
Em 90 dias os deputados devem apresentar um estudo preliminar contendo um "Raio X" de como esta o corpo da segurança pública gaúcha, dissecada a partir de dados coletados pela Frente e fornecidos pela Secretaria de Segurança Pública do RS que se prontificou em colaborar com o trabalho da Assembléia Legislativa.
Proponho que este quadro da segurança pública riograndense, além de ser disponibilizado através dos meios eletrônicos usuais, também seja transformado num livro.
Fotos que ilustram esta postagem de Juarez Pereira e Guerreiro.
Leia mais na Agência de Notícias da ALE-RS:
Aroldo Medina

Medina, Freitas e Pozzobom


terça-feira, 29 de março de 2016

Instituições Brasileiras

Apoio, incondicionalmente, o trabalho das instituições brasileiras, entre as quais destaco o Poder Judiciário, o Ministério Público Federal e a Polícia Federal que devem ter autonomia plena, com orçamento próprio e independente.
A imprensa do Brasil, igualmente, merece total apoio para que continue 100% livre e sem nenhuma espécie de censura.
O juiz Sérgio Moro tem meu reconhecimento e incentivo para que continue seu profícuo trabalho pelo bem de nossa pátria.

Aroldo Medina


quinta-feira, 17 de março de 2016

Lula mina Lava Jato e PT apoia.

Missões do novo ministro Lula: barrar o impeachment de Dilma e melar a Lava Jato... Se vingar sua nomeação.
Sérgio Moro agiu corretamente em quebrar o sigilo de áudios na Operação Lava Jato. O Brasil tem o direito de saber.
Dilma, Lula & Cia acirram os ânimos entre os brasileiros. A nomeação do novo ministro acendeu o estopim. Explosão social parece interessar ao PT que se imaginando apeado do Poder, prosperando o impeachment, age como Nero ateando fogo em Roma.
Polícias Militares serão "para-choque" ou a "estopa" entre: os a favor e os contra o Governo Federal? Brigada Militar agiu como "estopa" no manifesto de 13 de março. A PM trabalhou para manter os favoráveis ao Governo bem separados dos contra. Acertou e foi elogiada.

quarta-feira, 16 de março de 2016

O novo ministro Luiz Inácio Lula Jararaca da Silva.

Dilma, Lula & Cia acirram os ânimos entre os brasileiros. A nomeação da "Jararaca" acendeu o estopim. Explosão social parece interessar ao PT.

Governo Dilma Rousseff joga moral da nação brasileira na lama, perante a comunidade internacional, com a nomeação de Lula.

Risco Brasil deve aumentar, dólar subir, bolsa cair, acompanhando a biruta da política brasileira.




Em tempo: o juiz Sérgio Moro agiu corretamente em quebrar o sigilo de áudios na Operação Lava Jato. O Brasil tem o direito de saber.

Os áudios revelados pela Lava Jato.


E por falar em Jararaca:

Lesão causada por picada de Jararaca.



terça-feira, 1 de março de 2016

Os 100 anos da Academia de Polícia Militar do RS.

Na ordem do dia 1º de março de 1916, o coronel Afonso Emílio Massot, então no Comando Geral da Brigada Militar, tomava uma das muitas decisões que lhe assegurariam um lugar proeminente na história da corporação: estabeleceu a criação de um curso de ensino de dois anos “desejando proporcionar aos oficiais e subalternos da Brigada Militar os meios de se aperfeiçoarem no conhecimento de várias matérias de instrução intelectual, sem sacrifícios pecuniários”. Estava nascendo a Academia de Polícia Militar do Estado do Rio Grande do Sul que desde então tem sido o centro não apenas de formação, mas também de aperfeiçoamento e especialização dos oficiais da Corporação.

Passo importante para a caracterização da APM tal como a temos hoje foi dado em 1934, com a criação da unidade de ensino da BM, com a denominação de Centro de Instrução Militar onde era realizado o Curso de Preparação Militar, embrião do Curso de Formação de Oficiais que formou várias gerações de gestores de Polícia Militar, nas décadas de 70, 80 e 90 quando a Brigada formava quase todos os anos, uma nova turma de aspirantes a oficial. As fotografias empoeiradas que ainda são encontradas nas paredes de alguns quartéis mostravam a força do Estado formando, regularmente, dezenas de jovens idealistas que ganhavam o Rio Grande do Sul para combater o crime, aonde ele surgisse.

As turmas de oficiais, junto com turmas de praças combatentes do crime que povoavam o pátio dos quartéis, nas décadas mencionadas, onde se podia contar, com facilidade, mais de trezentos homens em forma, por turno de serviço, comandados por um tenente formado pela APM, foram minguando, minguando até as salas de aula da Academia de Polícia Militar ficar vazias no seu centenário. Não é a toa que milhares de pessoas protestam todos os dias por mais segurança pública e o medo se manifesta em todo lugar.

O sistema de defesa pública da população esta falindo porque não há milagre se o Governo do Estado não rever sua posição, dando sentido às escolas de formação da Brigada, povoando-as de alunos, ainda que minimamente. Uma releitura da Teoria Geral do Estado, por parte dos governos, seja ele federal ou mesmo estadual, há de relembrar os eleitos, sobre conceitos básicos, como o de soberania interna que só existe com instituições policiais bem estruturadas para garantir a segurança pública da população.


Aroldo Medina - Tenente-Coronel RR da Brigada Militar.

No centro, o Comando da Brigada Militar: coronel Alfeu Freitas Moreira.


Turma de Aspirantes 1988 da BM,
no centenário da APM-RS.
Gabriel José Caldeira dos Santos,
9 anos, vestindo réplica do uniforme de
Afonso Emílio Massot, patrono da BM.