quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Nilva Medina, 81 primaveras.

A pessoa mais importante da minha vida, completa, hoje, 81 primaveras.
Todos os dias de tarde, faça chuva ou faça sol, 15 horas, pego minha mãe no colo, tiro ela da sua cama hospitalar, aqui em casa, coloco a mocinha na sua cadeira de rodas e, vamos tomar nosso mate.
A conversa corre solta. Dia destes ela me perguntou, quem tinha surgido primeiro no mundo. Teria sido o homem ou a mulher? Divaguei sobre a teoria criacionista e a evolucionista. Atentamente, ela acompanhou as explicações e, no final, arrematou: "- Aroldo! Boa explanação, mas ainda continuo em dúvida. Tu não me respondeu quem surgiu primeiro." Então tá!
Ontem, apreciando junto com o chimarrão, uma guloseima apetitosa chamada pipoca, herdada dos índios, segundo o coronel Hélio Moro Mariante, resolvi provocar a mãe. Eu disse: "- Sabe que tem umas pessoas pelo mundo que chegam, a vender a mãe, para fazer um bom negócio?" Ela me olhou intrigada, franziu a testa e, sem titubear, disparou: "- Tá pensando em me vender?" Mais rápido ainda, respondi: "- Claro que não. Não venderia nem por um bilhão de dólares". Ela sorriu, estendeu a mão e, se inclinou aproximando o rosto, para me dar um beijo, bem faceira.
Compartilho com todos, a felicidade de festejar as 81 primaveras de minha mãe, Nilva De Wallau Medina, imaginando que todos os filhos gratos devem sentir o mesmo pelas suas. E, felicito ainda, todas as mães, atuais e futuras, reverenciando também as que já partiram para a próxima dimensão de vida, pela dádiva de trazerem a este mundo, todos nós, fazendo-nos seres humanos melhores, através do amor que plantam em nossos corações.
Por fim aduzo, pelo que acabei de escrever, que quem chegou primeiro por aqui, foram mesmo as mulheres.
Fraterno abraço! Deus e o mestre Jesus, estejam sempre entre nós, abençoando, iluminando e protegendo.
Aroldo Medina

Nenhum comentário:

Postar um comentário