segunda-feira, 25 de maio de 2009

Defesa Civil


O RS deve ter uma Defesa Civil Estadual bem estruturada, capaz de socorrer prontamente os gaúchos nos desastres naturais com eficiência e eficácia. O Brasil deve perseguir esta meta também, visando a proteção de todos brasileiros ameaçados por desastres. No site da Defesa Civil do RS (http://www.defesacivil.rs.gov.br), em notícias, há um histórico que preserva a memória das realizações do órgão a partir de 2004.

Um comentário:

  1. Navegando pela Internet, resolvi colocar o nome do Aroldo no Google. A pesquisa deu 64.200 resultados. Fui então olhar por onde andava o Aroldo na Rede. Encontrei uma notícia bem interessante sobre o trabalho dele no site do INPE, transcrito também no site do Ministério das Minas e Energia. O texto segue abaixo. O crédito que vemos, ao ler a notícia, depositado na conta do Estado do RS, sobre o desenvolvimento do que os cientistas do INPE classificaram como "maior disponibilidade de dados online sobre desastres naturais do Brasil" é mérito do Aroldo. Sobre esse assunto de TI (Tecnologia de Informação), ele costuma dizer que não fez mais do que sua obrigação, em preservar a memória da Defesa Civil do RS. Até colocou esse banco de dados nos arquivos da PROCERGS, dizendo que lá não seriam “deletados”. Eu já penso que o feito é digno de nota, como também é o fato de que o atual Governo do Estado não deu continuidade ao projeto de parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, mencionado nesta notícia. Bom pessoal é isso aí. Desculpem se esta postagem ficou um pouco mais longa do que o habitual, em função de colocar também um extrato da notícia que mencionei. Um grande abraço, Marcelo Rosa.

    DESASTRES NATURAIS

    O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais propôs um protocolo de parceria com a Defesa Civil do Estado para implantação de um Sistema Nacional de Informações georeferenciadas sobre desastres naturais ocorridos no Brasil, a partir da instalação de uma base de operações e pesquisa no campus universitário da Universidade Federal de Santa Maria.

    Amanhã será divulgado um relatório global assinado pelos maiores especialistas ligados a ONU que certamente causará preocupação para todos os governos do planeta, tendo em vista as modificações no clima da Terra causado pelo aquecimento global. Segundo o documento, teremos que nos preparar para conviver com desastres naturais a cada dia mais violentos. Foi confortante saber que um grupo de cientistas do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), com sede em São José dos Campos (SP), esteve reunido, na manhã de ontem, com a chefia da Defesa Civil do Estado, no Palácio Piratini. Sob a liderança de Tânia Maria Sausen, geógrafa, autoridade nacional no estudo de desastres, o grupo de cinco cientistas propôs um protocolo de parceria com a Defesa Civil do Estado para implantação de um Sistema Nacional de Informações georeferenciadas sobre desastres naturais ocorridos no Brasil, a partir da instalação de uma base de operações e pesquisa no campus universitário da Ufsm (Universidade Federal de Santa Maria), no Rio Grande do Sul.

    Escolha por excelênciaTânia Sausen explicou que a base de estudos será a Região Sul e o Rio Grande do Sul foi selecionado pelo Inpe, além da estrutura oferecida pela Ufsm, em função da tecnologia utilizada na organização de seu banco de dados de Defesa Civil, disponível para consulta via internet, na página da Defesa Civil Estadual (www.defesacivil.rs.gov.br). O volume de dados sobre desastres ocorridos no Estado, disponível na página (maior disponibilidade de dados online sobre desastres naturais do Brasil), e a qualificação técnica da equipe da Defesa Civil gaúcha foram outros diferenciais que levaram o corpo técnico do Inpe a optar pela instalação da base no RS. O chefe da Defesa Civil, tenente-coronel Marco Aurélio Forlin, e o diretor técnico do órgão no Estado, major Aroldo Medina, anteciparam aos cientistas do Inpe a disposição do RS em assinar o protocolo de intercâmbio, com a anuência da governadora Yeda Crusius e o chefe da Casa Militar, coordenador estadual de Defesa Civil, coronel Dalmo Itaboraí do Nascimento, ressaltando ainda o grande avanço tecnológico que esta parceria com o Inpe permitirá à Defesa Civil do Estado, principalmente por permitir o gerenciamento de desastres com o uso de imagens de satélites associadas às informações destes fenômenos da natureza. Data da notícia: 01/02/2007
    http://www.inpe.br/crs/geodesastres/noticias?id=11

    ResponderExcluir