segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Brigas entre torcidas organizadas.

Depois de presenciar uma briga entre torcidas organizadas do Grêmio, na inauguração da Arena, ao término do jogo, conversei com colegas da BM que estavam de serviço no local, para saber mais detalhes sobre o conflito entre os torcedores.

Apurei o seguinte diagnóstico: a Geral do Grêmio é pródiga em causar confusões. Recebe um tratamento diferenciado da direção do Grêmio que lhe dá dinheiro e fornece ingressos gratuitamente, em número muito maior do que fornece para outras torcidas organizadas do clube, com menor número de torcedores, porém mais ordeiros e pacíficos.

Os "gafanhotos", como também são conhecidos os torcedores da Geral,  quando viajam em bandos para outros lugares fora de Porto Alegre, alguns de seus integrantes protagonizam condutas que afrontam as leis. Muitos de seus membros são fregueses das delegacias que frequentam conduzidos por policiais.

Sugestão: a nova diretoria eleita do Grêmio pode rever o crédito que dá a sua Geral e as torcidas com histórico semelhante. Igualmente, pode repensar a ocupação do espaço na Arena, pelas suas torcidas organizadas, sem misturá-las. Por exemplo, Geral e Máfia não podem estar juntas. Disseram-me que no Olímpico estas torcidas ficavam sempre separadas.

Aroldo Medina

Nenhum comentário:

Postar um comentário