quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Greve de ônibus em Porto Alegre causa confusões no Centro da capital.

HOMEM PRIMATA. O Centro de Porto Alegre hoje pela manhã estava bem quente, nos dois sentidos: denotativo (beirando 40 graus) e conotativo (a cabeça das pessoas estava fervendo).

Caminhava pela rua quando uma buzina se"esganiçou" toda para xingar alguém. É fácil perceber quando o conhecido artefato sonoro veicular se soma a um polegar para se travestir de palavrões eletrônicos. Meu globo ocular de quase meio século, registrou então o seguinte: "O motorista de um micro-ônibus particular parou em fila dupla, ao lado de um táxi lotação que estava no seu ponto, abrindo a porta para os passageiros desembarcarem. O motorista do táxi lotação enfiou o dedo na buzina e arrancou o seu veículo na direção da porta onde as pessoas desembarcavam, com o intuito de protestar contra o motorista do outro veículo e a fim de dissuadir os passageiros de continuarem descendo".

Naturalmente intervi na situação chamando a atenção de um fiscal da ATL, próximo do local, sobre o que estava acontecendo e me dirigi ao motorista do táxi lotação. Minha abordagem ocorreu no exato momento em que o motorista do micro-ônibus particular e um passageiro se dirigiam, intempestivamente, ao motorista do táxi lotação para tirar satisfação... Identifiquei-me como policial militar, dissuadindo a dupla de incursionar contra o motorista, dispensando-os e, determinando que o motorista do lotação me apresentasse sua documentação. Paralelamente, dois passageiros do táxi lotação e um vendedor ambulante passaram a me insultar, aos gritos, contra minha atitude de abordar o incauto motorista e "atrasar" a saída do lotação.

Nestas horas a criticada disciplina militar é fundamental. Sozinho, à paisana, mantive o foco no motorista, ignorando a tempestade armada ao redor. Depois de examinar seus documentos, informei que iria multá-lo por uso indevido da buzina e por dirigir sem os cuidados indispensáveis à segurança, liberando-o em seguida, sem deixar de ser brindado por uma saraivada de impropérios disparada por um passageiro mais exaltado, enquanto o táxi lotação partia.


Aroldo Medina

Nota: Antes que alguém me sugira... Vou à praia em breve, não para tomar um banho de mar ou me refrescar do calor, vou para me rolar no sal mesmo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário