quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Hospitalidade na beira da BR 386.

A Tenda do Maninho, também conhecida como tenda do Vanderlei, fica na beira da estrada 386, quilômetro 273, em Fontoura Xavier (RS). É um lugar onde o viajante é sempre bem atendido. E, esta tradição já passou de pai para filho.

Voltando de Santo Ângelo (RS), dia 10 de setembro, por volta do meio dia, parei ali, para comprar um mel. Fui atendido pelo jovem Cris Rean Portella dos Santos, 11 anos, estudante da 6ª série, no Colégio Ernesto Ferreira Maia. Bem disposto, me ajudou a escolher o mel mais novo, entre vários potes a mostra. Perguntei como estava na escola. "- As notas estão bem". Respondeu o moço. Quis saber ainda do que gostava mais no colégio? Não titubeou em responder que era educação física. Sorri e indaguei que matéria intelectual lhe atraia mais. Pensou, pensou, pensou e elegeu a matemática como sua preferida, mas não dispensou uma calculadora eletrônica, na hora de somar o valor dos dois potes de mel, dois quilos de feijão e uma garrafa de cachaça de alambique colonial que comprei. Há! Seu Cris!

Quando falei que iria escrever sobre nosso encontro, empolgou-se e me deu um salame de presente, para "me recompensar pelo trabalho de redação", segundo explicou. Também lembrou de minha visita há mais de um ano na tenda do pai dele. Boa memória o moço. Brinquei com o Cris dizendo que na outra ocasião que parei ali, era prisioneiro da Brigada. Sem piscar, respondeu: "- O senhor tem mais cara de policial do que de bandido". Esse guri saiu bom. O tino para agradar o cliente tá no sangue! Puxou ao pai.

Aroldo Medina


A secretária doméstica Geni Goes Azevedo, 38 anos, prestigiava nossa conversa, enquanto cuidava do Rene.

Nenhum comentário:

Postar um comentário