domingo, 4 de outubro de 2009

O Juiz


... "Mas não posso deixar de comentar, na condição de quem passou um dia pela Vara das Execuções Penais de Porto Alegre - felizmente como juiz, não como preso - a hipocrisia disseminada que reina da Serra à Fronteira Oeste deste amado e excêntrico Estado, único no mundo a comemorar a cada setembro uma guerra que perdeu feio". (grifo)...

... "Cada cidade , antes de virar comarca, ou depois de se tornar uma delas (grifo), deveria ter o seu próprio presídio, quer fosse municipal ou estadual".

As sentenças acima, extrai da página 16 do jornal Zero Hora, edição de hoje, domingo, produzidas pelo juiz de direito. Afif Simões Neto.

Chamou minha atenção a irreverência do magistrado. Nunca pensei, até ler o artigo do juiz que comemorávamos uma derrota na Revolução Farroupilha. Em meu ponto de vista comemoramos uma luta por liberdade, igualdade e humanidade, idéias estampadas na bandeira que reverenciamos.

No entanto, no artigo que foca contradições de nosso sistema penitenciário e da própria lei de execuções penais, concordo plenamente com o juiz, com sua proposta de que cada cidade deveria "cuidar" dos seus próprios presos. Voto na sua idéia de que cada cidade emancipada deveria ter seu presídio tão certo como tem uma prefeitura, uma escola, uma comarca, um posto de saúde e uma guarnição policial.

Fonte: O ARTIGO

Nenhum comentário:

Postar um comentário