terça-feira, 29 de novembro de 2011

Pra frente Brasil - Salve a Seleção Estudantil.



Participei hoje pela manhã da entrega de medalhas e certificados de Fair Play a estudantes do Colégio La Salle Canoas. A cerimônia foi promovida pelo Grêmio Estudantil que organizou a 2ª edição do campeonato Interséries de Futsal, entre alunos do ensino médio e fundamental.



O Certificado de Fair Play é uma espécie de Diploma de Reconhecimento oferecido ao atleta que não comete faltas durante o campeonato e acata de forma disciplinada as deliberações do árbitro. 30% dos atletas inscritos fizeram juz a esta premiação sugerida pelo tenente Marco Ariel Nunes Gonçalves, desde o primeiro campeonato.




Minha filha, Natália Medina, 15 anos, presidente do Grêmio, foi a mestre da cerimônia prestigiada pelos estudantes, direção do colégio e irmãos lassalistas.

Aprecio muito participar destes eventos, onde normalmente compareço fardado, para integrar a Corporação com os jovens estudantes e prestigiá-los como policial militar que vê nessa geração de brasileiros, um Brasil que vai pra frente com educação, ainda maior do que aquele que conhecemos hoje.

Aroldo Medina

Um comentário:

  1. Fiquei muito contente com a lembrança de uma ideia que dei a muito tempo. Falta no esporte o verdadeiro Fair Play, não aquele que aparece na TV onde o jogador coloca a bola para a lateral para atendimento de um jogador que está machucado (ou não), mas sim daquele que a palavra esporte vem acima de tudo, exemplo do maratonista brasileiro Vanderlei Cordeiro, que nas olimpíadas, faltando poucos km para o término da maratona, onde vinha liderando por larga vantagem, foi agarrado por um maluco, que o fez perder muito tempo e a concentração. voltou para prova e foi terceiro, e ao invés de lamentar, agradeceu a tudo e a todos pela oportunidade de competir. Parabéns Natália por premiar aqueles que fazem do esporte uma ferramenta para se tornarem pessoas mais humanas.
    Nesse mundo em que vivemos de bang bang sem mocinho é um pequeno mas significativo passo de fazer mais mocinhos.
    Marco Ariel

    ResponderExcluir