segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Venda de farda PM sem controle

Fardas da Polícia Militar são vendidas sem controle

Com a chamada do link exibido acima, o Fantástico da Rede Globo exibiu no seu programa de domingo, dia 30 de agosto, a facilidade em comprar uniformes da Brigada Militar, no RS e também da Polícia Militar, em SC. No RJ a farda PM pode ser encomendada pela Internet. Em SP a compra é controlada.

O repórter gaúcho Giovani Grizotti, mostrou a vulnerabilidade no comércio de uniformes policiais militares no Brasil, por amostragem.

Temos agora uma corrida contra o tempo para bloquear as investidas que os agentes do crime irão empreender para comprar suas fardas, antes que a porta escancarada pela reportagem se feche. Não precisarão mais roubar uniformes militares em varais domésticos, como tínhamos notícia quando isto ocorria. Basta ir a uma loja que comercializa os artigos, com dinheiro vivo na mão e sair bem fardado do local.

Creio ainda num efeito colateral da reportagem: aumenta a margem de desconfiança das pessoas que passam a duvidar da autenticidade de verdadeiros policiais. O fenômeno já existe. Por exemplo: policiais verdadeiros são constrangidos em portas de agências bancárias ao terem seu acesso simplesmente negado por estarem fardados e, as vezes armados. O argumento do vigilante, cumprindo ordens do banco ou mesmo da empresa para a qual trabalha, é que o sujeito fardado, barrado na porta, pode estar usando uma "farda roubada" e esta ali para praticar um assalto. O policial verdadeiro é tratado como "suspeito de ser um criminoso". É humilhado na porta giratória do banco. E ninguém se importa com isso. Alegam que é apenas um "dissabor" do policial. Ser humilhado e tratado como um possível criminoso é apenas um dissabor.

O que muitos não estão a perceber é que isto gera uma crise de autoridade, pois a autoridade não é reconhecida e posta em dúvida. Esta atitude é um grave sintoma de anarquia. Estou falando de autoridade, não de arbitrariedade ou qualquer coisa semelhante.

Imagine um pai sem autoridade com o filho. Isto existe e não é pouco. E os professores então sem autoridade em sala de aula. Uma queixa flagrante dos educadores que dizem que os alunos estão quase incontroláveis no universo escolar. Pensemos nas conseqüências de uma crise generalizada de autoridade. Na verdade, já estamos caminhando nessa estrada. Vou parar por aqui porque os exemplos são infinitos.

Termino referindo a última frase da reportagem do Fantástico: “Se nós falarmos dos países desenvolvidos, é praticamente impossível que um cidadão comum compre uma roupa de uso exclusivo de polícia ou de Forças Armadas”.

Não imagino policial nos países desenvolvidos sendo barrado numa porta de banco simplesmente por estar uniformizado ou portando arma. E experimente ignorar a ordem de um policial em um país desenvolvido.

Minha resposta a tudo isso é:

EDUCAÇÃO! EDUCAÇÃO BRASIL!

MAIS INVESTIMENTOS NA EDUCAÇÃO NO BRASIL!

Até lá, pobres de todos nós!

Nenhum comentário:

Postar um comentário