terça-feira, 13 de abril de 2010

Fórum da Liberdade 2º dia


O segundo dia do bem organizado Fórum da Liberdade foi concorrido. Estudantes e professores universitários, empresários, profissionais liberais, jornalistas e outros interessados lotaram o grande auditório do prédio de eventos da PUC, na avenida Ipiranga, em Porto Alegre.

Apreciei muito a palestra de David Neeleman, dono da aeroviária empresa AZUL. Sua palestra foi em linguagem simples, como o próprio empresário definiu, mas de um conteúdo muito prático, criativo e empreendedor. Apontou o custo de produção no Brasil, sugerindo uma carga tributária alta, como uma bagagem extra que diminui uma autonomia de vôo maior para o desenvolvimento do país. Educadamente, defendeu mais autonomia para a INFRAERO implementar as obras que os aeroportos brasileiros necessitam. Questionado propôs que o Brasil inicie, imediatamente, as obras na infraestrutura aeroportuária que vamos demandar daqui há cinco anos. Sentenciou que o setor aeroviário brasileiro vai continuar crescendo no transporte de passageiros.

O ponto alto do encontro de promoção do amplo conceito da liberdade teve seu apogeu com a palestra muito clara e objetica do doutor Jorge Gerdau Johannpeter, seguido pelo pronunciamento igualmente cristalino e bem fundamentado do ex-presidente da república, Fernando Henrique Cardoso, aplaudido de pé, ao final de sua fala.

Jorge Gerdau destacou a natureza política do evento e sublinhou o conjunto de significados da palavra liberdade. Gravou na consciência de todos presentes a responsabilidade de cada um, no processo permanente de construção de um Brasil com melhor qualidade de vida para todos brasileiros. Concluiu concitando pensarmos como desenvolver o Brasil, diariamente.

Fernando Henrique conceituou a política como a "arte de organizar". Citou e contextualizou os principais pensadores das relações do Estado com o cidadão. Lembrou Maquiavel e Rosseau. Imprimiu nas cabeças atantetas do auditório que numa república devemos desenvolver uma cultura cívica de obediência as regras, para alcançarmos a Justiça da igualdade, na solução de conflitos. Exemplificou falando que na Inglaterra, um príncipe e um mordono são iguais perante um juiz. Provocou aplausos ao dizer que "Os ditadores que mais manipulam vem de baixo".

Vaiada por um grupo de estudantes, logo ao ter anunciada sua presença no teatro do evento, a governadora foi aplaudida quando o anfitrião Luiz Leonardo Fração, presdiente do IEE, mostrando influência sobre a platéia, elogiou o ajuste fiscal do Governo Yeda Crusius.

Nenhum comentário:

Postar um comentário