segunda-feira, 10 de maio de 2010

Chico Xavier



Cheguei do cinema há pouco. Assisti o filme de Daniel Filho, Chico Xavier.

A sessão estava cheia, no Shopping Canoas, em reformas. O Cinemark dá uma colher de chá, às segundas-feiras. O preço do ingresso, "entrada inteira" é apenas seis reais.

Gostei muito do filme. Mostra aspectos da vida e da mediunidade de Chico Xavier e de sua ligação com o Espiritismo. Daniel Filho é bem objetivo em sua obra. Amálgama a simplicidade do seu protagonista, nos levando a conhecer a vida humilde do menino Francisco Cândido Xavier, sua mocidade e fase de consagração, sem deixar de mostrar algumas das muitas provações pelas quais teve de passar antes de desencarnar, dez dias depois do Brasil conquistar seu pentacampeonato mundial, em 30 de junho de 2002.

O filme não é uma obra de ficção. É um documentário, uma poesia, uma luz na vida dos homens e mulheres de todas as idades que buscam paz e tem fé em Deus e, em toda sua corte celestial, aqui na Terra, governada por Jesus, como me ensinou a Clarice Pires Bittar, uma estudiosa do Espiritismo, há muitos anos.

Uno-me a todos aqueles que tem fé. Irmano-me com todos os que lutam pela paz. Faço silêncio como todos os que deixam a sala de cinema, mudos, depois do filme, para conversar com pensamentos que nos ligam com Deus.

Biografia de Chico Xavier

Um comentário:

  1. Estou unida com essa mesma fé.
    Quero ver este filme!
    Lembrei-me de quando vi "A Paixão de Cristo" de Mel Gibson. Durante o filme, ouvía-se o soluço de um e de outro, inclusive o meu. No final, quando acenderam-se as luzes da sala de cinema, o filme foi aplaudido, algo que eu jamais havia visto. As pessoas saíram silenciosas também e muitas ainda choravam. Aquele filme, mexeu muito os corações, deveria mexer também muitas cabeças. É um filme, mas nos leva a rever valores e a própria vida.Um abraço de coração.

    ResponderExcluir