quarta-feira, 1 de julho de 2009

Manual da Brigada



Um dos trabalhos editoriais dos quais tenho o maior orgulho de ter realizado é o Manual da Brigada. Foram três edições. A primeira, com 36 páginas, em abril de 1997, a segunda, com 60 páginas, em novembro do mesmo ano e a terceira, com 96 páginas, em novembro de 1998. As três edições juntas chegaram há 100 mil exemplares e, foram distribuídas, gratuitamente, a população, em Porto Alegre e região metropolitana. Foi um guia voltado ao cidadão. Nele coloquei orientações como o cidadão poderia cuidar melhor da sua segurança em diversas situações do seu dia a dia e, ainda mapeei todas as Unidades da BM, em Porto Alegre, com endereço e telefone. Ilustrei com fotos e desenhos. Os brigadianos e as brigadianas também gostaram muito do Manual, pois, nele os retratei como artistas da publicação. Foram merecedores.

Era distribuído as pessoas, nos quartéis da BM. As edições esgotavam rapidamente. Ali também coloquei o perfil dos principais serviços da Brigada Militar e como as pessoas podiam acessá-los com maior agilidade. Falamos das ocorrências policiais mais incidentes e como o cidadão poderia evitá-las. A publicação se consagrou como um guia de serviços da Brigada e seus patrocinadores viram nele uma grande oportunidade de agregar sua imagem a um produto de excelente aceitação popular e utilidade pública.

Sua realização só foi possível com o apoio seguro e o incentivo permanente, de meu chefe imediato, na época, major Paulo Roberto Mendes Rodrigues, hoje famoso: coronel Mendes. Um líder de grande envergadura moral e notória autenticidade. Idêntica conduta tiveram o comandante de policiamento da capital, naquela época, o nobre coronel Arlindo Bonete Pereira e o valoroso coronel José Dilamar Vieira da Luz, comandante geral da BM, oficiais a quem consigno minha mais garbosa continência. Aroldo Medina.

BRIGADA MILITAR

Nenhum comentário:

Postar um comentário