quarta-feira, 18 de abril de 2012

Grauser Dieter: bom samaritano de Abadiânia.


O mecânico de máquinas agrícolas Grauser Dieter, 39 anos, natural de Berna na Suiça, é um cidadão pacato, ligado na vida e carismático. Conversei com ele na Pousada São Francisco de Assis, em Abadiânia (GO). Quando perguntei se podia tirar umas fotos dele, enquanto conversávamos, correu para buscar seus cães, o Boby e a Paulina. Ele ficou conhecido no bairro Lindo Horizonte onde fica a Casa de Dom Inácio de Loiola, por limpar, voluntariamente, as ruas do lugar.

Começou a viajar pelo mundo depois de sofrer uma grave acidente, no exercício do seu ofício. Passou por várias cirurgias em todo corpo e depois de gastar todas suas economias e saber que teria de pagar mais de um milhão de dólares para continuar seu tratamento, iniciou uma peregrinação internacional, em busca da cura de suas lesões, através de métodos alternativos.

Ouviu falar do trabalho espiritual do médium João de Deus. Decidiu então viajar para o Brasil, onde vem pela sétima vez e diz se sentir em casa, depois de peregrinar pela Alemanha, Bélgica, Egito, Espanha, Estados Unidos, Filipinas, França, Haiti, Jamaica, Israel e México, entre outros países. Afirma estar muito satisfeito com o tratamento que faz na Casa de Dom Inácio de Loiola e que sente melhoras depois que passou a se tratar com João de Deus.


Explicando por que decidiu limpar as ruas do entorno da Casa de Dom Inácio, disse que não se sente bem, vendo tanto lixo espalhado pelas ruas. Diz não entender como um lugar tão rico em belezas naturais não tem a devida atenção do poder público.

Em seguida fala que gosta muito do Brasil onde se sente feliz em Abadiânia. O lugar é simples, com uma energia espiritual maravilhosa, afirma. Gosta de caminhar nos vales de Abadiânia, olhar a natureza, sentir-se livre, curtir as flores, os pássaros e banhar-se na cachoeira da casa de Dom Inácio. "- O lugar é lindo", diz Grauser.


Pergunto-lhe o que deveria melhorar, além da limpeza da cidade. O mecânico suíço não hesita e fala que a polícia deve ser melhor paga e preparada para lidar com os turistas. Acha muito pouco um policial brasileiro ganhar, em média, apenas $ 400,00 (quatrocentos dólares) por mês, no Estado de Goiás. Também sugere mais azul no uniforme da PM.

Afirmou estar cansado de tantas abordagens que sofre da Polícia Militar. Diz compreender que seja natural suas tatuagens pelo corpo chamarem atenção dos policiais, mas eles poderiam ser mais educados nestas abordagens. "Aqui a polícia tem muito ataque", sentenciou.


Outra idéia que alinha como melhoria para a cidade, concordando com minha tese de que a avenida Frontal, também denominada avenida Francisca Teixeira Damas, principal via de acesso a Casa de Dom Inácio de Loiola, deve ser completamente reformada, é pintar todo o trajeto nas cores azul e branco, da BR 060 até a entrada da Casa de Dom Inácio.

Grauser propõe ainda fazer uma ciclo via, distribuir mais placas informativas pela cidade, principalmente relacionadas a horários de ônibus, melhorar a segurança e que toda a iluminação pública seja com lâmpadas especiais que clareiem o caminho com luz azul. Concordo plenamente.

O suíço não gostou também de ver motoristas dirigindo seus automóveis pela rua, "correndo". Disse que o problema poderia ser contornado com quebra molas. Eu colocaria umas lombadas eletrônicas, com designer imitando uma ampulheta. Aliás, na próxima postagem, vou propor um conjunto de melhorias para Abadiânia, fruto das conversas que tive com moradores, comerciantes e turistas que frequentam a cidade.


Finalizando, Grauser Dieter vê contradição na propaganda em frente a Casa de Dom Inácio, onde se vê anúncio de uma churrascaria, afixada em outdoor. Carne vermelha para o suíço não combina com o regime alimentar de quem quer estar em melhor sintonia com o Mundo Espiritual.

O moço ainda sugeriu que poderia haver pelo mundo, crematórios populares. Isto faria bem ao planeta. É mais higiênico. Neste sentido, condenou praticas de vampirismo que tomou conhecimento na Europa, envolvendo pessoas que sofreram mortes violentas. Disse ter um lema: creme mais para limpar a terra, afinal é só um corpo que esta ali.

Major Aroldo Medina

Correspondente de Abadiânia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário