sábado, 21 de abril de 2012

Projeto Abadiânia Lindo Horizonte.


A cidade de Abadiânia, em Goiás, tem um potencial enorme de crescer impulsionada pela Casa de Dom Inácio de Loiola. Esta certeza vem da quantidade de visitantes que o município recebe em função do médium João de Deus ter escolhido o município como o seu lar.

São milhares de pessoas que procuram João de Deus, nos dias em que sua agenda esta marcada para atendimento na Casa de Dom Inácio. A maioria dos visitantes é de continentes fora da América do Sul. Eles começaram a vir, regularmente, nos últimos dez anos. Predominam europeus. Isto torna Abadiânia um cartão postal permanente do Brasil.

A despeito do grande fluxo de pessoas no bairro Lindo Horizonte, onde fica localizada a Casa de Dom Inácio, a infraestrutura do município deixa muito a desejar. A avenida Frontal, também denominada Francisca Teixeira Damas ou "rua quatro", principal via de acesso ao grande Hospital Espiritual de Abadiânia precisa ser reformada, em toda sua extensão (1.200 metros), desde seu início junto ao quilômetro 61 da BR 060 até a frente da Casa de Dom Inácio.


A modesta via Frontal tem vocação para ser de fato uma avenida. Este status depende de mudarmos seu atual perfil: estreita, com buracos, sem "bocas de lobo" para escoamento adequado das águas das chuvas, com calçadas descontínuas, irregulares e com obstáculos, sem iluminação pública condizente com o lugar.


A nova avenida Francisca Teixeira Damas deve ser mais larga e sem asfalto. Depois de fazer um contrapiso bem forte (capaz de suportar fluxo constante de grandes ônibus), seu calçamento para trânsito de veículos deve ser com paralelepípedos dispostos de maneira personalizada, como mostra a foto.

As calçadas de ambos os lados de uma possível nova avenida Frontal devem ter dois metros de largura, sendo igualmente revestidas de pedra, seguindo um padrão. Junto a calçada, eu projetaria canteiros de flores e plantaria árvores, em intervalos regulares, com pequenos paradouros, com bancos para pedestres. A calçada do lado direito de quem vem chegando, faria ela totalmente coberta (abrigando o pedestre da chuva e do sol), em toda sua extensão, da BR 060 até a frente da Casa de Dom Inácio. Não dispensaria também uma ciclovia, caracterizando o trecho pintando-o nas cores azul e branco.

A iluminação pública pode ser com postes sem fiação a mostra e usando lâmpadas especiais que produzissem coloração azulada. No meio do trajeto entre a BR e a Casa de Dom Inácio há espaço para construção de uma praça pública bem pensada, com uma fonte de água sempre corrente e iluminada, agregando símbolos espirituais universais, destinada ao encontro dos visitantes do lugar. Creio que o nome desta praça pode muito bem ser, obviamente: "Nações Unidas".

Junto a BR 060 deve ser projetada uma estação rodoviária que pode ser muito bem denominada Dom Inácio de Loiola, concebida em estilo diferenciado, seguindo a temática da nova avenida. Isto se justifica porque quem não pode ir de táxi de Brasília ou Anápolis até Abadiânia, vai de ônibus e é largado na beira da estrada. Como diria o gaúcho nestas circunstancias: "Isso é o fim da picada!"


O conjunto de todas estas melhorias propostas eu passo a chamar de "Projeto Abadiânia Lindo Horizonte". O recurso financeiro necessário para sua execução pode ser obtido através de emenda da bancada de deputados federais de Goiás, ao orçamento da União. O Exército Brasileiro, por meio de um de seus batalhões de engenharia militar de construção pode executar a obra planejada.

Todas as idéias aqui consignadas foram produzidas em conversas que tive com visitantes, moradores e trabalhadores do entorno da Casa de Dom Inácio de Loiola, motivados a falarem sobre melhorias que poderiam ser feitas em Abadiânia, a partir da avenida Frontal.

Aroldo Medina

Nenhum comentário:

Postar um comentário